A importância de “mergulhar” no Espírito

O Espírito Santo de Deus tem sido meu Professor nesses últimos sete anos… Ele tem me ensinado principalmente através da adoração e da prática da oração em línguas, e assim tenho recebido muito entendimento da parte dEle, o que tem me transformado diariamente…

Uma das coisas que tenho aprendido com Ele é que existem 3 áreas onde precisamos de cura (3 níveis de cura):
– Cura física
– Cura espiritual
– Cura da alma
Das 3, a mais complexa é a cura da alma, sabem porque?
Porque envolve o nosso livre arbítrio.

Jesus disse: “E conhecereis a Verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32)
O que liberta é o conhecimento da verdade, ou seja, o que liberta é o fato da verdade “entrar” dentro de nós, e se tornar conhecida por nós.

A frase que o Espírito Santo me falou nesses dias foi a seguinte:

“Quando você recebe entendimento (conhecimento da verdade sobre algo, inteligência do Espírito/mente de Cristo) as tuas escolhas MUDAM”.

É isso que REVELA quem é liberto, e quem ainda não é: as escolhas.
Porque as escolhas definem o caminho que a pessoa vai seguir, e as escolhas REVELAM quais são as vontades que tem imperado dentro daquela pessoa.
As vontades nos influenciam muito nas escolhas, mas quando temos ENTENDIMENTO (conhecimento da verdade), as nossas vontades não mandam mais em nós, ao invés disso, nós as subjugamos ao governo do Espírito Santo.

Quando recebemos o entendimento do Espírito, quando Deus nos “dilata” o entendimento, quando recebemos a mente de Cristo, quando todo “espírito” de “burrice” sai da nossa mente… então temos opção de escolher novos caminhos, tomarmos novas decisões… e assim novas vontades poderão ser geradas em nós. Entendem isso?

Ser livre, ser liberto(a) tem a ver com as vontades… e as vontades estão ligadas ao entendimento, e o entendimento ligado as escolhas. Uma coisa depende da outra.
Uma pessoa sem entendimento (ignorante, sem conhecimento sobre a vida, e sobre si mesmo/a) costuma fazer péssimas ESCOLHAS, e também costuma ser uma pessoa difícil de se relacionar.

Observe melhor o que Jesus disse em João 8.31-32:

“…Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

De novo, mas agora com minha análise entre parênteses):

“…Se (“Se” é condicional, livre arbítrio, escolha pessoal) vós (Se vocês) permanecerdes na minha palavra (acreditarem nas minhas palavras, guardarem ela, e não duvidarem…), verdadeiramente sereis meus discípulos (aí sim vocês serão meus seguidores de verdade); E conhecereis a verdade (e ENTÃO vocês conhecerão a verdade), e a verdade vos libertará (e assim, por causa do conhecimento da verdade, a verdade libertará vocês. Ela fará de vocês homens e mulheres LIVRES).”

A maior verdade que o Espírito me ensinou a observar nas palavras de Jesus Cristo foi o quanto Ele nos ama.
Você precisa entender isso. Precisa acreditar nisso.
Porque?
Porque é A VERDADE.
O conhecimento dessa verdade vai te libertar poderosamente de tudo que tem te afastado do Senhor.

As mentiras vem para te afastar desse amor.
Acredite mais em Jesus. A única coisa que Jesus não é capaz de fazer é mentir. (Foi por isso que muitas vezes Ele se calou, porque Ele era incapaz de mentir).
O que Ele disse está escrito e é verdade.
Não foi um homem qualquer quem disse, foi Ele quem disse: “SE PERMANECERDES na minha palavra…”
Então você conhecerá a verdade, e ela te libertará!
Permanecer significa ACREDITAR nEle.
Permaneça!
Permanecer é a mesma coisa que “estar em Cristo”…

2 Coríntios 5.14-17:
“(14) Porque O AMOR DE CRISTO nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram.
(15) E ele morreu por todos, para que os que vivem NÃO VIVAM MAIS PARA SI, MAS PARA AQUELE que por eles morreu e ressuscitou.
(16) Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo.
(17) Assim que, SE ALGUÉM ESTÁ EM CRISTO, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que TUDO se fez novo.”

A cura da alma (mente, emoções, pensamentos, vontades) DEPENDE disso gente.
Quando a cura é nessa área (alma), não adianta passar anos orando sem entendimento, porque o que liberta a alma (o que liberta a mente) é o CONHECIMENTO DA VERDADE.
É por isso que muitas vezes vemos crentes (muitos com mais de 20 anos de igreja) apresentando problemas básicos, coisas que já era para eles terem vencido, mas que estão ligadas as vontades erradas, escolhas erradas, ou seja, falta de cura NA ALMA.

O Espírito Santo é o nosso ajudador nesse processo.
“Eis que Deus é o meu ajudador, o Senhor está com aqueles que sustêm a minha alma.” (Salmos 54:4)
Vamos mergulhar no Espírito!
Paz!
Sarah Sheeva

03.12.2012

O que tem tocado aí dentro deste templo?

Alguns assuntos são muito delicados para se comentar, principalmente quando envolvem pessoas que amamos.
Aproveitando algumas notícias da mídia, e já respondendo as perguntas que estão me enviando a respeito, existe algo que vocês podem ter certeza sobre mim:

Eu JAMAIS voltarei a cantar músicas que não sejam de adoração a Deus.
É uma decisão, não apenas profissional, mas espiritual e ministerial.

Acredito no seguinte: podemos ter “amigos” no mundo, podemos andar no mundo, fazer a diferença, sermos a luz do mundo, etc… mas o mundo não pode andar DENTRO de nós.
Ou seja: Não podemos amar as coisas do mundo, os prazeres do mundo. Precisamos amar as PESSOAS do mundo.
Amar, nesse caso, significa sermos usados como instrumento de salvação para os perdidos.

Acredito que a música é algo ESPIRITUAL, é energia pura, algo sobrenatural. Acredito (e também tenho respaldo bíblico) que a música tem o poder de entrar dentro de nós e ministrar a nossa alma e o nosso espírito humano.
(Lembra de como Davi expulsou o espírito imundo de Saul ao ministrar louvor? 1 Samuel 16.23)

Nós somos o TEMPLO do Espírito Santo.
Então pergunte a você mesmo:
O que tem TOCADO aí dentro deste templo?
Dentro de mim só tocam os louvores de adoração ao nosso Deus! Nenhuma música profana ou de simples entretenimento toca dentro de mim.
Porque?
Porque EU SEI que DEUS NÃO CRIOU A MÚSICA PARA DAR PRAZER AO SER HUMANO (essa frase é do Pr.Cirilo), mas Deus criou a música para a adoração a Ele.

Acreditar nisso seria isso um tipo de “religiosidade”?
Não. Como eu sei que não?
Por causa da experiência prática da mudança nas minhas vontades.
Houveram muitos anos (após a minha conversão) que eu continuava com a prática de ouvir e cantar músicas que não eram de adoração a Deus, e enquanto eu não abandonei essa prática, muitas vontades malignas não me abandonavam, e muitas áreas da minha vida continuavam aprisionadas.
Posso testemunhar, e sei que muitos outros Cristãos podem testemunhar que, após deixarem a prática de ouvir músicas profanas, houve mudança em suas vontades, e em muitas áreas de suas vidas.

Precisamos ser um tipo de crente que, se Deus mandar deixarmos algo, deixamos NA HORA!

Precisamos ser um tipo de crente que “põe a mão no arado e não olha mais para trás…”

Porque quem põe a mão no arado e olha para trás (sente saudades do mundo) não é digno de Jesus.

Não foi fácil para mim, não foi fácil deixar certas músicas… Mas eu amo Jesus MAIS.
Eu amo Jesus MAIS do que qualquer prazer deste mundo.

Eu nasci na música do mundo. O preço de renúncia que eu paguei para poder servir ao Senhor foi alto. Por Jesus eu abandonei toda uma carreira. Eu não teria abandonado se Ele não tivesse pedido, e se deixar de obedecer não fosse algo que realmente pudesse comprometer minha caminhada em direção a eternidade.
Mesmo assim, sei que o preço que paguei não se compara com o preço que Ele pagou pela minha vida.
Por isso eu deixei tudo por Ele.
E deixaria de novo.

Lucas 9:62

“E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.”

Traduzindo:

“Ninguém que começa a fazer a obra de Deus e fica com saudades do mundo, está capacitado para receber o reino de Deus.”

Por isso, quando alguém questiona (ou duvida que valha a pena) o nosso esforço em renunciar as coisas do mundo para seguir a Jesus, eu digo:

“Me mostre as tuas convicções, a tua teologia (ou até o teu ateísmo), que eu te mostro a mudança nas minhas vontades.”

Ser livre não é fazer o que quer, ser livre é conseguir querer o que Deus quer.
Ser livre é obedecer a Deus, e não ao diabo.

Paz,
Pra.Sarah Sheeva

28.10.12

O crente, e os dois governos que podem operar sobre ele

Existem 2 tipos de crentes: o crente que anda (vive) na alma, governado pela alma (e consequentemente na carne), e o crente que anda no Espírito (que vive sob o governo do Espírito).

Na Bíblia, muitas vezes podemos ver a palavra “coração” representando a nossa “alma”, como em Jeremias 17.9:

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”

(em outra tradução, o significado está ainda mais claro):

“ENGANOSO é o coração, mais do que todas as coisas, e DESESPERADAMENTE CORRUPTO; quem o conhecerá?”  (Jr 17.9 – RA)

Observe o contexto dessa passagem do versículo 5 até o 10, com algumas explicações entre parênteses:

Jeremias 17.5-10:

(17.5) Assim diz o SENHOR: Maldito (amaldiçoado é) o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR! (amaldiçoado é o homem que confia mais em si do que no Senhor, que confia mais na força do próprio braço do que em Deus, e que afasta sua alma – suas vontades – de Deus)

(17.6) Porque (esse homem) será como o arbusto solitário no deserto e não verá quando vier o bem; antes (ao invés disso), morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.

(17.7) Bendito (abençoado) o homem que confia no SENHOR e cuja esperança é o SENHOR.

(17.8) Porque ele (esse homem) é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro (significa que essa árvore tem suas raízes – por debaixo da terra – voltadas em direção ao rio, e por isso essa árvore está sempre “bebendo água” sem ninguém ver, porque é debaixo da terra que ela está recebendo a humidade, ou seja, no secreto) e (esse homem, que é como essa árvore) não receia (não tem medo) quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão (no ano de seca), não se perturba (não se preocupa), nem deixa de dar fruto. (mesmo com a seca, que representa as circunstâncias difíceis, esse homem não deixa de prosperar em todas as áreas de sua vida, porque sua fonte de “água” está garantida, sua fonte não é visível, mas é real, e isso o sustenta mesmo no tempo da seca).

(17.9) Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? (enganosas são as vontades e os pensamentos do homem, eles são traiçoeiros, quem os verá e revelará?)

(17.10) Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração (sondo, vejo e analiso a alma e as vontades de cada um), eu provo (testo) os pensamentos; e isto (faço) para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações. (segundo o que cada um fizer, semear, ação e reação, a lei da semeadura).

Coração e alma são a mesma coisa, e, o que a Bíblia nos mostra é que a nossa alma não é confiável, ela é enganosa.

Seria “um pouco” enganosa? Não. A Bíblia nos mostra que a nossa alma é enganosa MAIS do que TODAS AS COISAS. Isso significa que a nossa alma é extremamente TRAIÇOEIRA, e por isso Deus diz “maldito o homem que confiar nela” (vers. 5).

É da nossa alma que fluem as nossas vontades, ou seja, as vontades “nascem” na alma. Então, quando Deus falou “enganosa é a alma…” consequentemente Deus estava nos dizendo: “enganosas são as vontades de vocês, elas são traiçoeiras! Não confiem nelas!”

Mas hoje (graças a Deus) sabemos que não somos mais obrigados a andar (viver) na alma (sob o governo dela), porque recebemos a oportunidade de andar no Espírito, com a ajuda dEle, através do batismo nEle, através dos dons dEle, da armadura espiritual que Ele nos fornece (Efésios 6.13).

Como saber se estamos andando (vivendo) no Espírito?

Como saber se o governo que está agindo sobre nós é o da nossa alma ou o do Espírito Santo?

Quando você anda no Espírito, você NÃO faz o que você quer (o que a tua vontade física, vontade instintiva, vontade emocional quer), apesar de “querer”, de sentir “vontades”, (quando você anda no Espírito) você não se deixa governar por elas, mas opera em você uma decisão de submeter as tuas vontades a Deus, opera em você um domínio próprio, e uma vontade MAIOR de crucificar a tua vontade (do que de realizá-la), opera em você uma decisão e uma vontade MAIOR de fazer a vontade de Deus. Porque? Simplesmente porque você sabe que a tua vontade não é confiável.

Quando você anda no Espírito você obedece a vontade de Deus.

Uma pessoa que só faz o que quer, NÃO ANDA SOB O GOVERNO DO ESPÍRITO, mas sob o governo da alma e da carne.

A vontade de Deus não é como a nossa (enganosa, perversa e corrupta – Jr 17.9), a vontade de Deus é PERFEITA, boa, e agradável para nós (Rm 12.2), por isso não devemos confiar em nossa vontade, mas devemos confiar somente na vontade de Deus, que sempre será MELHOR que a nossa.

Qual é o “segredo” para andarmos sempre no Espírito?

A maneira como eu fortaleço meu espírito (e enfraqueço as minhas vontades carnais) é através da prática da oração em línguas (e também do jejum), mas observe, não estou falando da oração em línguas na forma de interpretação (1 Cor.14.5), nem da oração em línguas na forma de “idiomas variados” (como descrita em Atos 2.6-8), estou falando de outra forma de oração em línguas (porque existem 4 formas diferentes de oração em línguas), estou falando da forma que está descrita em 1 Coríntios 14.4: a oração em línguas para a nossa edificação pessoal. Essa forma de oração em línguas é a que eu utilizo para fortalecer o meu espírito, ela é totalmente bíblica.

O próprio Apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 14.18 o seguinte:

 “Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.”

Ou seja, o Ap. Paulo orava muito em línguas! Porque? Porque ele sabia que essa era uma forma muito eficaz de fortalecimento espiritual.

Vamos ler o que o Ap. Paulo diz do verso 1 ao 4:

1 Coríntios 14. 1- 4 (com algumas explicações entre parênteses)

(14.1) Segui o amor e procurai, com zelo (com cuidado, com atenção), os dons espirituais (busque os dons espirituais), mas principalmente (busque) que profetizeis. (Esse dom é destacado pelo Apóstolo Paulo por ser um dos dons que mais edificam e fortalecem a toda a igreja).

(14.2) Pois quem fala em outra língua não fala a homens (não está falando pros homens entenderem, é um “idioma” incompreensível aos homens), senão a Deus (fala com Deus, é um “idioma” que só Deus entende), visto que ninguém o entende (ninguém entende nada que estamos falando quando estamos orando em línguas, pq? Porque na verdade, ela não é uma oração para a alma humana entender – a não ser que o Espírito dê a interpretação), e em espírito (a pessoa que está orando) fala mistérios. (a oração em línguas é uma oração EM ESPÍRITO – não “em ALMA” – onde a pessoa fala MISTÉRIOS. Aqui, mistérios, são as coisas ORADAS em espírito, coisas que ainda não nos foram reveladas, que não sabemos, coisas que o Espírito está intercedendo por nós, mas que não estão sendo reveladas a nossa alma/mente naquele momento, por isso essa oração é um mistério para nós).

(14.3) Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando. (mas quem profetiza fala em um idioma que todos entendem, idiomas que a nossa alma entende, como Português, Inglês, Espanhol, etc… trazendo edificação, encorajamento e consolo para toda a igreja, e não apenas para uma pessoa)

(14.4) O QUE FALA EM OUTRA LÍNGUA A SI MESMO SE EDIFICA, mas o que profetiza edifica a igreja. (edificar = construir = fundar = quem fala em outra língua a si mesmo “constrói”, firma, fortalece… mas quem profetiza, firma, constrói, fortalece a igreja toda, E NÃO APENAS A SI MESMO).

Perceba que nesta passagem (e nesse capítulo) o Ap. Paulo está falando da importância de falar (DENTRO DA IGREJA – no microfone, no púlpito) em um idioma que TODOS ENTENDAM, que edifique a todos, e não apenas em línguas. Nesse capítulo ele fala várias vezes que não adianta ficarmos orando em línguas pros outros (não é esse o propósito da oração em línguas) mas que (no caso do idioma do Brasil) quando nos dirigimos aos outros publicamente, devemos falar em PORTUGUÊS, pois assim todos nos entenderão, e serão edificados.

Porém, Paulo deixa “escapar” (no verso 4) o propósito da oração em línguas, para quê ela serve: para nossa edificação pessoal!

E no verso 18, ele DECLARA que era um grande praticante desse dom de edificação!

Não é maravilhoso isso?

A oração em línguas nos fortalece a ponto de fazer a nossa alma se submeter ao Espírito de Deus. A nossa alma (mente) não está capacitada para governar a nossa vida, ela está capacitada apenas para expressar sentimentos, emoções e vontades.

O nosso espírito humano foi criado para receber o Espírito Santo, e assim (através do batismo no Espírito Santo) Ele (o Espírito Santo) poder nos governar, governar SOBRE a nossa alma, sobre nossos pensamentos, sobre as nossas vontades.

E assim, quando o Espírito nos governa, na prática, no dia a dia, Ele nos ensinará TODAS as coisas:

João 14.26: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”

Isso significa que, apesar das nossas vontades serem traiçoeiras, dos nossos pensamentos serem enganosos (Jr 17.9), e por causa disso não sabermos fazer as escolhas certas ou dirigir corretamente as nossas vidas, ELE (o Espírito Santo) nos GUIARÁ PELO CAMINHO DA VERDADE:

João 16.13:  “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.”

É por isso que você precisa receber o batismo do Espírito Santo, e começar a praticar a oração em línguas para a tua edificação pessoal. Sem a prática desse dom a armadura espiritual descrita por Paulo em Efésios 6 não está completa, ele diz assim:

Efésios 6.13-18: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; ORANDO EM TODO O TEMPO com toda a oração e súplica NO ESPÍRITO, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos…”

Orar NO ESPÍRITO não é orar com a mente, em pensamento, porque orar com a mente é orar com a ALMA. Orar NO Espírito é quando o próprio Espírito Santo ora (intercede) por nós, essa é a ÚNICA forma de orar NO ESPÍRITO = em línguas. Todas as outras formas de oração são com a alma (mente), por isso Paulo disse aos Romanos:

Romanos 8.26-27:

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém (porque oramos segundo a nossa vontade = alma), mas o mesmo Espírito (Santo) intercede (ora) por nós sobremaneira (acima da nossa maneira), com gemidos inexprimíveis.”

“E aquele que sonda os corações (Aquele – Ele – que vê a nossa alma/mente) sabe qual é a mente do Espírito (Ele sabe o que Ele mesmo pensa e planejou para cada um de nós), porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede (ora) pelos santos. (por nós)

Por isso, trazendo para a prática: ore em línguas, ore diariamente, ore enquanto você faz suas atividades em casa, ou enquanto estiver dirigindo, indo ao trabalho, andando de ônibus, caminhando pelas ruas… para isso, você não precisa orar em voz alta, chamar a atenção das pessoas ao redor, não, esse não é o propósito (lembra?), ore baixinho mesmo, pois essa oração é entre você e o Espírito de Deus! Para tua edificação pessoal!

Você pode escolher, pode decidir se entregar a Ele, ao governo dEle por quanto tempo você quiser (orando em línguas), e assim tua alma não conseguirá ser mais forte que o teu espírito! Ela terá que se sujeitar ao governo do Espírito!

Por quanto tempo você deseja que o Espirito Santo interceda por você?

O tempo todo?

Então ore em línguas em todo tempo (Ef 6.18), porque assim em todo tempo Ele estará intercedendo por você!

Esse é o meu “segredo”.

Que Deus te abençoe,

Pra. Sarah Sheeva

As lutas só acabam lá na sepultura…

As lutas acabam na sepultura

 

Sabemos que quando nos convertemos a Cristo e O conhecemos, nós passamos a buscar a verdade em Sua palavra. Então começamos a “levar uma vida Cristã”. (Perceba o detalhe que) nem sempre começamos a “viver uma vida Cristã”, mas começamos sim, a “levar a nossa vida” de uma nova maneira, numa nova condição, sendo agora então, conhecedores da verdade de Cristo. Começamos a passar por um processo de santificação e mudança do nosso caráter, tendo o caráter de Cristo como modelo, e isso tudo em busca de “vivermos verdadeiramente uma vida Cristã”. A partir daí, muitas coisas acontecem, muitas mudanças ocorrem em nós e em toda a nossa vida. E nós então, despertamos para a realidade do mundo espiritual. Despertamos para a realidade da guerra espiritual constante, a qual testemunhamos, queiramos ou não, tenhamos consciência dela ou não. Por causa disso (de admitirmos a existência dessa guerra espiritual) passamos a observar e perceber (como nunca antes) as lutas que enfrentamos, e também as lutas ao nosso redor. Começamos a analisar as nossas lutas pessoais e a observá-las de forma diferente, de forma que nunca havíamos observado antes.
Por incrível que pareça, muitas vezes nós nem percebemos como a conversão mudou a nossa percepção, a nossa maneira de ver a vida, e a partir daí (de não percebermos que nossa percepção mudou), nós (erroneamente) passamos a pensar que, depois de aceitarmos a Cristo e depois de começarmos a nossa caminhada Cristã, as coisas começaram a “piorar” muito em nossas vidas, mas isso não é verdade. A verdade é que fomos nós que finalmente despertamos do “sono” do sistema, e do “sono” da “morte” espiritual. Na verdade, fomos nós que mudamos, não as circunstâncias. As lutas sempre existiram, mas antes, nós não as percebíamos como percebemos agora. Antes, nós éramos escravos, e a nossa vida não pertencia a Deus, mas pertencia ao príncipe do sistema, por isso ele (o diabo) não fazia o menor esforço para percebermos a sua existência ou o seu agir, e nós, por causa da cegueira espiritual, não conseguíamos ver as batalhas espirituais que eram travadas diariamente diante de nós.
Agora é diferente, agora, depois de “despertos” para a realidade, o inimigo não consegue (e não faz questão) de se esconder de nós. Isso porque nós recebemos o poder da oração, recebemos o poder para desmascará-lo e expulsá-lo, e dependendo da situação e do nível de “guerra” que estamos enfrentando, chega a parecer que ele “faz questão” de se revelar a nós, e de nos afrontar.
Então, quando passamos a pensar que nossa vida está “piorando” por causa da nossa conversão a Cristo, estamos na verdade em meio a mesma “guerra” espiritual “de sempre”, mas agora a diferença é que estamos sendo “atacados” pelo inimigo (diabo) de outra forma: com o intuito de nos levar a desistir de “lutar”. Somos repetidamente levados a pensar que, agora que estamos com Cristo, a nossa vida piorou, e as coisas estão ainda mais difíceis… A nossa alma se abate, e ficamos CANSADOS de tanta “guerra”…
Mas porque ficamos cansados?
É porque agora nós somos diferentes de antes. Antes nós éramos ignorantes, não enxergávamos a “guerra”, e por isso tínhamos a IMPRESSÃO que ela não nos atingia… Mas era só impressão.
Porém, agora que nós sabemos (aprendemos) a interagir com ela, agora, o dia-a-dia em meio a “guerra” espiritual nos cansa… Terminamos os dias fisicamente e emocionalmente mais cansados… Porque?
Logicamente é porque ao deixaRmos de ser ignorantes nas “batalhas” espirituais do dia-a-dia, deixamos de ser indiferentes e “passivos”, deixamos de ser inativos, deixamos de ser vítimas fáceis do inimigo, e passamos a ser “ativos” e valentes guerreiros de Deus, conscientes do poder e das promessas… Passamos a nos esforçar para tomar posse do Reino dos céus. O problema é que toda essa “ação” (que exige de nós mais esforço no dia-a-dia) conseqüentemente nos cansa. Porque? Porque todo esforço cansa. Não que isso nos cause mal, mas todo esse “movimento” espiritual nos deixa mais ligados, atentos, menos relaxados, e conseqüentemente mais cansados no final de um longo dia de trabalho.
Por causa desse cansaço (normal para qualquer valente guerreiro) a nossa alma enganosa e corrupta tende a se abater, e começar a buscar “fugas”. Ela busca “fugas” nos entretenimentos desta vida, nas diversões que existem por aí, no lazer, nas distrações, e em tudo o que o mundo puder lhe oferecer… Não que não devamos ter momentos de lazer, não é isso. É que a alma foge das lutas (que precisa enfrentar) através de tudo o que ela consegue. A alma tenta resolver os problemas dela sozinha, sem a ajuda de Deus, e por não conseguir, ela começa a pensar em desistir. A alma quer viver sem lutas e ao mesmo tempo quer levar uma vida “sossegada”. Ela esquece das palavras de Jesus em Mateus 6.33:

“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

Ou seja, não há outro meio de obtermos vitórias, e de sermos supridos em todas as nossas necessidades, se não buscarmos a Deus em primeiro lugar.
A alma é preguiçosa, ela não quer se esforçar.
Mas a Palavra diz que o Reino é conquistado por esforço (e em algumas traduções diz “por violência”):

Mateus 11.12: “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.”

É por isso que a alma não pode estar no governo da nossa vida Cristã, porque ela se abate com muita facilidade. Mas o Espírito Santo precisa nos governar, porque Ele nunca se abate… Ele é inabalável!

A Palavra diz que o Senhor nos dá a vitória nas lutas e nas batalhas…
O problema é que, a partir do momento que vencemos as lutas de hoje, as lutas deste ano, as lutas do momento… simplesmente não queremos mais ter lutas! A nossa alma-enganosa é assim!
E é justamente isso que muitos Crentes não percebem.
Muitos não percebem como o mundo (sistema) influencia sua alma, e por isso não “deixam” o mundo (sistema), não se guardam de certas “ministrações” que o mundo possui, oferece, de certos movimentos (BigBroth… ou melhor, BigMorte) que existem no sistema, entre outras coisas.
E é por isso que muitos Crentes tem uma expectativa totalmente errada sobre a vida Cristã, esses irmãos esperam: NÃO TER MAIS LUTAS.
Pode uma coisa dessas?
Onde estamos com a cabeça meu Deus? Como pode um Crente (eu mesma já pensei assim viu…) pensar que, após ele vir para o Senhor…ele não terá mais lutas… Como assim?
Isso não é bíblico.
Jesus nunca nos disse que não teríamos lutas neste mundo, pelo contrário, muitas vezes Ele nos alertou para que estivéssemos atentos às lutas e às tentações que enfrentaríamos.
Veja as palavras de Jesus em João 16:

1. Tenho-vos dito estas coisas para que não vos escandalizeis.
2. Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus.
3. Isto farão porque não conhecem o Pai, nem a mim.
4. Ora, estas coisas vos tenho dito para que, quando a hora chegar, vos recordeis de que eu vo-las disse. Não vo-las disse desde o princípio, porque eu estava convosco.
5. Mas, agora, vou para junto daquele que me enviou, e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?
6. Pelo contrário, porque vos tenho dito estas coisas, a tristeza encheu o vosso coração…
(E o capítulo 16 termina com Jesus dizendo assim):
33. Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.

Mas Jesus também nos disse que receberíamos dEle poder para pisar “serpentes e escorpiões” (Lucas 10.19: “Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.”)

E Paulo também afirmou que seríamos mais que vencedores em todas as coisas:  (Romanos 8.37: “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.”)

Por isso, sabemos que teremos vitórias… e mais vitórias em Cristo! Porém…
A cada vitória que Deus nos dá (sobre cada luta que temos) a nossa alma enganosa e corrupta tem a tendência a se acomodar, a “descansar”…
Digo descansar, não no sentido positivo de ter as forças reparadas por uma boa noite de descanso, ou por um tempo de descanso específico, mas no sentido negativo, no sentido de “descansar” das batalhas, esmorecer, PARAR.

Tem horas que realmente dá VONTADE de parar, de largar tudo… Porque?
É porque a nossa alma (que é a sede das nossas vontades) ACREDITA que SE pararmos será “mais fácil” viver.
A alma (coração, mente) é enganosa… Não devemos confiar nela de jeito nenhum… Ela acredita que sabe das coisas, e fica nos dizendo que, se pararmos, a vida ficará mais fácil. Mas isso não é a verdade.
A verdade é que NÃO ADIANTA pararmos, não adianta largarmos tudo, pelo contrário, é nessa hora que a gente precisa lutar!
A alma acredita que parando de obedecer ao Espírito, e obedecendo aos sentidos/vontades (dela), as coisas vão melhorar… Mas é mentira.
A (nossa) alma mente para nós, porque ela quer estar no controle das nossas vidas, ela não quer obedecer a Deus. E o diabo sabendo disso, se aproveita dessa nossa fraqueza, e vem nos atacar bem aí na hora que estamos cansados de obedecer, na hora que estamos cansados de negar o nosso querer… Mas é nessa hora que a gente precisa lutar! Justamente nessa hora é o momento de se humilhar e buscar a face de Deus!

Não devemos parar nunca. E também não devemos nos queixar das lutas que temos (eu que o diga!). E porque não devemos murmurar?
Porque, por mais incrível que pareça, as lutas nos ensinam algo muito precioso, algo que nada mais pode nos ensinar, elas nos ensinam a manter nossos olhos “fixos” firmemente no Reino dos céus, na eternidade, e não no sistema (mundo). São as lutas que não nos deixam “descansar”, esmorecer, parar… São as lutas que nos mantém fora da “zona de conforto” do “atraente mundão”, do sistema (deste século).
As lutas nos mantém despertos! Elas nos ajudam a “odiar o sistema”.
Disse Jesus:

João 12.25: “Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna.”

As lutas nos ajudam a não “amarmos” a vida no sistema, a não nos acomodarmos com os entretenimentos desta vida.
Mas não é fácil… a nossa alma reluta em aceitar ou viver isso…
Por exemplo, por um lado, queremos as vitórias do Senhor sobre todas as nossas lutas, queremos um pouco de sossego… mas por outro, quando recebemos a vitória, nos ACOMODAMOS no sossego e “baixamos as armas de guerra” que nunca deveríamos baixar.
Esse é o motivo pelo qual Deus muitas vezes não pode nos dar certas “vitórias”, porque Ele sabe que “aquela” determinada “vitória” que buscamos vai nos tornar tão acomodados, tão sossegados, tão distraídos com este mundo, que possivelmente pode até nos desviar do caminho e da vontade dEle para nós.
Porque?
Porque enganoso e desesperadamente corrupto é o nosso coração (alma). (Jeremias

17.9: Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”)

Lembro sempre de uma frase do Pr. Eber Rodrigues:
“Muitas vezes, a tua aparente derrota é na verdade, a vitória de Deus na tua vida!”
Temos sempre que perguntar a nós mesmos o seguinte:

“Será que sempre terei de estar na MESMA luta para não me deixar desviar nem para a direita nem para a esquerda, e continuar firme na vontade de Deus? Será?”
“Ou será que vou aprender a me submeter e obedecer a vontade de Deus, mesmo que minha alma relute, e vou crucificá-la com Cristo, para experimentar qual seja a boa, agradável e perfeita vontade dEle para mim?”

Há muitas verdades sobre as lutas, e uma delas é que: as lutas não acabam, MAS elas com certeza MUDAM.
Cada vez que Deus “encontra” condições (em nós) de nos dar uma determinada vitória, novas lutas surgirão (na mesma ou em uma nova batalha).
Não que essa seja a vontade de Deus, mas faz parte desta vida.
Judas disse que teríamos que batalhar até pela Fé que nos foi entregue:

Judas 1.3: “Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.”

Portanto, as lutas não vão acabar, Mas…
Mas nós podemos mudar nossa maneira de encarar as lutas!
Nós podemos aprender a lidar com elas! E o primeiro passo é parar de ter medo delas, e enfrentá-las:

Isaías 41.10: “não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.”

Deuteronômio 31.8: “O SENHOR é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te atemorizes.”

Josué 1.9: “Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”

Jeremias 1.8: “Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar, diz o SENHOR.”

Não temas! Enfrente as lutas no poder e na força do Senhor!

É como diz um ditado muito usado no futebol: “A melhor defesa é o ataque…”
E a cada luta que vencermos, precisamos estar “preparados” para as novas lutas que surgirão, ao invés de esperarmos que as lutas simplesmente acabem, ou “desapareçam” das nossas vidas.
Se viemos buscar a Deus em busca de não ter lutas, precisamos encarar que isso  não existe!
Só existe um lugar onde as lutas acabam: no cemitério… Lá não tem luta nenhuma!
As lutas acabam na sepultura… E apesar de termos convicção da nossa salvação em Cristo Jesus, ninguém quer ir pra sepultura!

Mais uma vez eu friso: devemos buscar a vitória em cada luta sim! Mas não devemos buscar NÃO TER mais lutas.
Esta vida no mundo/sistema é assim: cheia de lutas e batalhas… Mas para os santos a vida também é cheia de vitórias!
Esse é o equilíbrio da alma de um valente guerreiro de Deus.

Vai chegar um momento em que vamos poder dizer: “As lutas que tínhamos há cinco anos atrás não temos mais hoje…” ou então “Não tenho mais ESSAS lutas, hoje em dia minhas lutas são OUTRAS…”
Elas mudaram…
Enquanto estivermos vivos “ainda existe uma cruz”, a porta é estreita e o caminho apertado…
Viver é desafiador! Mas é um presente que recebemos do Pai Celeste! Ele nos deu a chance de viver e de escolher se “um dia” vamos querer viver eternamente com Ele!
Eu tenho feito a minha escolha por Ele todos os dias desde Outubro de 1997,
e você?
Está consciente do presente, da grande oportunidade de escolha que é a tua vida?

Eclesiastes 9:

4. Para aquele que está entre os vivos há esperança; porque mais vale um cão vivo do que um leão morto.
5. Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento.
6. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.
7. Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe gostosamente o teu vinho, pois Deus já de antemão se agrada das tuas obras.
8. Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça.
9. Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de tua vida fugaz, os quais Deus te deu debaixo do sol; porque esta é a tua porção nesta vida pelo trabalho com que te afadigaste debaixo do sol.
10. Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além (ou sepultura), para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.

Faça da tua vida um instrumento nas mãos de Deus!
Faça a obra dEle com dedicação e amor!
Tudo que te vier a mão para fazer, faça por Ele!
Valorize a tua vida! E valorize (enxergue o valor de) cada luta que você tem!
Enxergue a sabedoria de Deus nas lutas!
Enxergue a oportunidade de crescimento em cada luta!
Deus está no controle da vida de seus servos!

Que Deus te abençoe!
Sarah Sheeva
24.02.2011

O Ser Humano e suas Vontades Descontroladas

O ser humano e suas vontades descontroladas

Outro dia eu estava lendo as notícias na internet e me deparei com algumas notícias horríveis sobre pedofilia, abuso sexual de crianças e de adolescentes. Eu estava analisando tudo isso, pensando em como o mundo/sistema em que vivemos está perdido, e em como o ser humano está cada vez mais alienado de Deus e da Verdade.
É impressionante como as pessoas estão cada vez mais mergulhadas no sistema, cada vez menos interessadas no (verdadeiro) Reino dos Céus, cada vez menos interessadas nas coisas eternas que “a traça e a ferrugem” não corroem, e que “ladrões” não conseguem roubar. (Mt 6:19,20) Casos como o da francesa Lygia Gouardo, ou das austríacas Natascha Kampusch e Elizabeth Fritzl, ainda nos horrorizam. Mas são tantas outras histórias… Madeleine McCann foi apenas uma entre milhões de crianças que desaparecem diariamente, sem jamais serem encontradas. Casos horripilantes vem a minha memória enquanto escrevo, como o dos pedófilos-assassinos belgas Michel Fourniret e Marc Dutroux. Me lembro quando, há alguns anos atrás, tive o conhecimento desses crimes (principalmente do caso Dutroux), chorei por uns 3 dias, fiquei sem dormir, orei e clamei a Deus não só por aquelas crianças, mas para que Ele me ajudasse a viver e a cumprir o chamado nessa terra, para que Ele me ajudasse a fazer a diferença num mundo tão caído e tão corrompido como este.
As vezes, ao ler coisas horríveis como os casos citados, parece que será impossível cumprirmos qualquer missão nessa terra.
Hoje, estava lendo os casos recentes que aconteceram em Luziânia-GO, que também denunciam esse tipo de horror em nosso país. http://www.sinpolgo.org.br/v2/index.php?option=com_content&task=view&id=231&Itemid=28

Sem dúvida, esses crimes revelam a ação de mentes psicopatas, mas além disso, todos esses crimes também revelam algo que, cada vez mais, tem chamado a minha atenção:
O mundo(sistema) tem nos “bombardeado” com um ensinamento muito maligno:
O “culto à auto-satisfação” e a “realização-das-nossas-vontades-acima-de-tudo”. Esse tipo de ensinamento nos “bombardeia” em forma de mensagens e valores difundidos pelo sistema.
O “certo” tem sido “divulgado” como o “errado”, e o “errado” tem sido ensinado como “certo”. Esses ensinamentos de valores errados tem destruído a vida de muitas pessoas, e essa destruição tem acontecido ainda na infância.
Ainda que não seja uma regra, sabemos que crianças que sofreram abusos, freqüentemente se tornam abusadores quando adultos. Isso é uma coisa realmente terrível de se imaginar, já que tantas crianças tem sido abusadas. Será que esses se tornarão futuros “abusadores” também?
Em nosso país, as notícias sobre pedofilia e abuso de crianças tem revelado uma triste realidade: A pedofilia e o abuso infantil acontecem com freqüência em milhões de lugares, mas só agora (em virtude de denúncias de casos já existentes, que é reflexo de uma mudança de comportamento da sociedade e da consolidação de ferramentas de combate aos crimes dessa natureza) é que está começando a ser divulgada (a fundo) a realidade desse problema no Brasil.
Porém, sem querer ser pessimista, e sim realista, eu acredito que o que estamos vendo e ouvindo nas mídias é apenas a pontinha desse “iceberg” chamado Pedofilia e abuso infantil.
http://www.soscriancaeadolescente.com.br/index_novo.php?pagina=noticia&id=1111111695

Pensando sobre isso, sobre o que leva um ser humano adulto, aparentemente sadio, a cometer tais crimes contras crianças inocentes, pesquisei um pouco sobre as descobertas de possíveis soluções para o problema global da pedofilia, e percebi que, além da castração química, ainda não foram descobertos tratamentos eficazes contra esse tipo de vontade maligna: o desejo sexual por crianças.
Penso que o grande problema de nossos dias, e possivelmente o nº1 e grande causador de todos os problemas que enfrentamos como sociedade, e grande causador de todos os problemas em todos os nossos relacionamentos é:
A falta de conhecimento e de domínio sobre as nossas vontades.
E em 2º lugar como grande causador dos nossos problemas, acredito que é:
A falta de conhecimento sobre o quanto o mundo (sistema) nos induz e gera em nós VONTADES malignas, através de seus ensinamentos.
Lidar com as vontades não tem sido um assunto discutido como deveria ser por todos, principalmente pelos verdadeiros cristãos (digo “verdadeiros” para que fique bem claro que há – como em todos os setores – bons e maus, verdadeiros e falsos.
E em nosso meio – cristão – não é diferente).
Independente da crença ou religião, o tipo de ser humano que “só faz o que quer” sempre vai ter problemas sérios na vida, seja de qual natureza for, a vida de um indivíduo que “só faz o que quer” passa a ser problemática e muito ruim a partir de algum momento.
Penso que pelo menos no meio cristão, “Lidar com as vontades” deveria ser um assunto mais trabalhado e discutido, já que na Bíblia (que é fonte da verdade teológica para nós cristãos) diz que o mundo (sistema) jaz no maligno (1Jo 5:19), e que o mal personificado (o diabo) é o príncipe deste mundo (sistema). (João 12:31, 14:30).
Perceba, passe a observar como o mundo (sistema) nos induz a um “culto” as nossas vontades, a “idolatria do nosso querer”, a buscar a felicidade através da auto-satisfação, e de “fazer o que se tem VONTADE”.
A cultura de que “ser livre e ser feliz é = fazer o que dá na telha” ainda é amplamente difundida através do humanismo enraizado no sistema. Essa é a principal “mensagem” e mentira do mundo (sistema): “faça o que você quiser, faça o que você tiver vontade, e aí você será livre e feliz, mesmo que para isso você precise passar por cima do direito (e da vida) dos outros”. Mas nós sabemos que essa não é a verdade sobre a felicidade, nem sobre a liberdade. Pois muitos são os que só fazem o que querem, e mesmo assim não são felizes… Muito menos livres.
Eu diria que, a psicopatia de muitos dos criminosos citados anteriormente, é alimentada e “agravada” por esse problema de “fazer o que quer” em busca da “auto-satisfação” que a humanidade vem seguindo e difundindo inconscientemente.
Acredito até que a falta de limites gerada por essa crença/comportamento (de fazer o que quer) gera muitos desses psicopatas, pois é desde cedo que se aprende a lidar com o “não”, com o limite das coisas. É desde cedo que se aprende a respeitar o direito do outro. É desde pequeno que se aprende a dominar os impulsos e vontades erradas, e isso não tem sido ensinado desde cedo como deveria.
A “auto-satisfação-acima-de-tudo” é um grande problema hoje em dia. As pessoas estão se acostumando a confundir prazer, sensação e emoção com felicidade, estão acreditando que prazer e auto-satisfação física (de qual natureza for) vão trazer a felicidade. Mas a felicidade vai muito além de um momento de prazer e satisfação física, vai muito além de uma descarga química no corpo, felicidade vai além de sensações.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2010/10/19/572/

As pessoas (especificamente os cristãos) não tem sido ensinadas a “negar as suas vontades” no dia a dia. Não tem sido ensinadas sobre uma grande verdade:
Que nem tudo que nós temos vontade é bom, ou faz bem. Pelo contrário, as vezes temos vontade pelo pior.  Infelizmente, não vemos essa mensagem se alastrar.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2008/04/10/o-que-e-ser-livre/

Em minha caminhada ministerial tenho visto que muitas pessoas recebem ensinamentos de um “cristianismo humanista”, ensinamentos que nem de longe se parecem com o verdadeiro cristianismo ensinado por Jesus. E isso tem acontecido porque o “humanismo gospel” tem se espalhado pelo povo de Deus em todo o mundo.
No humanismo o ser humano e sua satisfação são o “centro” de tudo. Veja como a cultura do “culto à auto-satisfação” e da “realização-das-vontades-acima-de-tudo” está sutilmente inserida nos princípios ensinados em uma das linhas do Satanismo:
(Fonte Wikipédia):
O satanismo é uma seita centrada em torno de Satã, seja através de uma divindade identificada como Satã, seja através da utilização do termo Satã como arquétipo, representando as forças da natureza, em particular da natureza humana. A primeira definição encontra-se no chamado Satanismo tradicional ou Teísta. Ao contrário, o denominado Satanismo LaVey foca a sua atenção no avanço hedonista do indivíduo, em vez de a focar na submissão a uma divindade ou a um conjunto de códigos morais. Contudo, existem outras formas de satanismo na sociedade contemporânea, diferentemente da formulação de LaVey.
Obs:hedonismo: (grego hedonê, -ês, prazer, alegria, desejo + -ismo) s. m. Doutrina filosófica que faz do prazer o objeto da vida.
(Fonte: http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=hedonismo )

Princípios do satanismo: Em uma das linhas do satanismo cada ser vivo é o seu próprio Deus e governante, cada um é responsável pelos seus atos e o seu modo de ser. Cada um é o seu próprio sacerdote, salvador e Deus. Alguns casos há efetivamente o culto a uma entidade espiritual, que pode ser denominada por satã ou receber outro nome. Em outros casos, o que é rejeitado é a idéia de culto a algo externo à pessoa. O que se busca é a expressão da plena liberdade e responsabilidade da pessoa por si mesma. Outro aspecto é se o movimento utiliza-se de rituais, com caráter religioso próprio, ou se está fundamentado numa atitude filosófica e prática. O predomínio de um ou outro aspecto caracteriza diferentes movimentos satanistas.
(Fonte Wikipédia)

Ou seja, o humanismo (a crença de que o ser humano é o “centro”, a crença de que o mais importante é a realização do ser humano) tem muito em comum com algumas linhas do satanismo, cuja doutrina diz que o prazer (a auto-satisfação) é o principal objetivo da vida humana.
Não posso negar que tenho visto “humanismo gospel” em muitas igrejas pelo Brasil. É claro que não são todos que apresentam esse pensamento e comportamento, mas são muitos mesmo, a maioria. São irmãos e irmãs que, por falha da liderança, aprenderam um “cristianismo errado”. São irmãos que nunca foram confrontados nessa área.
Infelizmente tenho visto essa realidade. Muitos irmãos crentes já estão tão “contaminados” pela “cultura” e pelas VONTADES do mundo (sistema), já estão tão contaminados com a teologia “humanista gospel” do sistema, que nem percebem mais o quão distante dos ensinamentos (e da essência) de Jesus é esse tal pensamento (e conduta) de “fazer o que quer”, ou de “só fazer o que se tem vontade”.
Jesus ensinou outra coisa, completamente diferente disso.
Ele disse que para segui-lo era condicional, era necessário (primeiro) negar-se a si mesmo (negar as próprias vontades), tomar a sua cruz (assumir e obedecer a direção de Deus, ainda que nos seja desagradável), para só então, poder segui-lo (Mateus 16:24).
Veja bem, não confunda isso com salvação em Cristo.
Não estou falando de salvação, que é de graça, que não pode ser comprada por nenhuma das nossas atitudes, e que só acontece quando nós verdadeiramente CREMOS nEle, e O confessamos como nosso Senhor (Dono) e Salvador. Não é disso que estou falando.
Mas estou falando de algo que é condicional enquanto estivermos nesta “dimensão”.
Que “dimensão”? A dimensão da matéria e do tempo (onde ainda precisamos desse corpo físico para andarmos aqui, e onde ainda precisamos desse corpo físico para nos comunicarmos uns com os outros).
Não estou falando de Salvação, estou falando de algo que é “condicional” enquanto ainda não estamos vivendo 100% na dimensão da Eternidade.
O que é “dimensão da Eternidade”?
É o lugar onde as coisas espirituais operam, onde fica o Reino, onde não precisamos desse corpo físico.

Outro dia ouvi de uma pastora amiga minha (PrªEzenete), algo interessante: “Muitos irmãos tem Cristo como seu Salvador, mas não O tem como seu Senhor e Dono…”
Ou seja, muitos querem a “Salvação” mas não querem que Deus “mande” em suas vidas.
Quando Ele é o teu Dono, Ele manda em você. Foi por isso que Jesus disse:
“Quem quiser andar comigo, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me…” (Mt 16:24)
Ou seja, “faça o que eu digo, e não o que você quer!”
Afinal, a vontade dele é boa, perfeita e agradável…
Também foi por isso que Ele disse em Mateus 7.21:
“Vai entrar no reino dos céus (somente) quem faz a vontade do pai (celestial)…” e não quem faz o que quer…
Fazer o que queremos NÃO É BÍBLICO, e não é seguro para as nossas vidas.
Precisamos aprender esse ensinamento rápido, antes que o mundo (sistema) nos cegue, nos tape a visão com as suas ofertas e manjares, pois a felicidade não está ligada a eles (manjares), e sim ao cumprimento da vontade de Deus em nós.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2010/03/20/agrada-te-do-senhor-5/

Toda vontade quando não pode ser controlada é um perigo, porque provavelmente ela (vontade descontrolada) já “nasceu” de forma errada. Precisamos praticar o domínio-próprio, aprender a dizer não para a nossa carne (carne=alma+corpo), e aprender a ouvir a voz do Espírito Santo.
Mas como saber se aquilo que estamos “ouvindo” provem de Deus e não de nós?
Resposta: Tudo que vem dEle está alinhado com a Sua Palavra (Bíblia).
A Bíblia está repleta de relatos e histórias onde Deus interage com o ser humano. E em cada ação e reação de Deus, podemos ver como Ele pensa, o que o agrada, e o que o entristece. Assim, podemos então conhecer a Sua vontade.
Foi por isso que Jesus disse:
“…Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” (Mt 22:29)
Jesus também disse em Marcos 12:24 que nossos erros provem de não conhecermos as Escrituras.
Se conhecermos a vontade de Deus, a personalidade de Deus, o caráter de Deus… Então conheceremos a vontade dEle, e poderemos praticá-la.   Isso revelará que nós não somos “humanistas”, mas que somos “teocentristas”!
Isso revelará que Deus é o centro, e que Deus está no centro de tudo em nossas vidas! E por causa disso, nós nunca seremos pessoas que tem vontades descontroladas, pelo contrário, nós seremos pessoas controladas pelo Espírito de Deus, pessoas transformadas, cuja vontade é boa, perfeita e agradável.
“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2)

Que Deus os abençoe,
Paz! Sarah Sheeva

Ouça a Palavra “A Raiz do Humanismo” no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=PrSm0JCsX04&p=F830C64A7989B36E&playnext=1&index=8

 

Felicidade

Vou compartilhar um pouco do que foi ministrado ontem lá em Taboão da Serra-SP.
Foi muito forte tudo o que Deus fez lá… Falamos sobre a Felicidade, pela busca do ser humano por ela… todos estão em busca dela. Pessoas fazem de tudo em busca dela… Mas apesar disso, só uma minoria é feliz. Porque?
Porque nós confundimos Felicidade com Prazer, Felicidade com sensações, Felicidade com emoções…

Por exemplo, Felicidade não é alegria, alegria é uma “emoção”, a alegria pode ser passageira…
mas a Felicidade não, ela é CONSTANTE.
A Felicidade é um estado constante interno, ela não pode ser abalada por nada EXTERNO, porque?
Porque “vencer” é: “vencer por dentro”.
Não é externo… é algo que recebemos dentro de nós.
“Vencer” tem a ver com realização, com o cumprimento do propósito da tua existência… pra que você existe?
Você nasceu com um propósito!
A Felicidade tem a ver com o cumprimento do motivo/propósito da tua existência!
Você precisa descobrir qual é o motivo da tua vida…
A Felicidade não é um “tesouro” físico, é algo que a “traça e a ferrugem” não corroem, e os “ladrões” não podem roubá-la…
Felicidade é algo que vem do Reino, não vem do sistema/mundo. Por isso Jesus disse para não ajuntarmos coisas de “valor” aqui nesta dimensão, porque tudo aqui acaba.
Mas a Felicidade não, ela é eterna… porque ela é um tesouro do Reino, um presente dado pelo Rei a nós…
Mas o Rei não dá este presente a quem não pertence ao Seu Reino, Seu domínio, Seu Governo… porque esses são “democratas espirituais”.
O Rei tem o direito de dar o “presente” dEle a quem Ele quiser, Ele é o Dono!
Então Ele escolheu dá-lo a quem pertence a “monarquia espiritual” dEle,
Ele escolheu dar o presente da Felicidade a quem está debaixo do Seu governo, do Seu Reino… É assim que funciona o mundo espiritual…
Quem é da “monarquia espiritual” é “teocentrista”, mas quem é da “democracia espiritual” é “humanista”.
O humanista é dono das suas coisas, mas o teocentrista não.
O teocentrista sabe que TUDO pertence ao Rei, que o Rei é o DONO de tudo!
É isso que eu chamo de “monarquia espiritual”.
Você sabe porque a monarquia não funciona no plano natural? (Ela só funciona no mundo espiritual…)
É porque o ser humano não consegue ser totalmente “justo”.
O coração do homem é enganoso e desesperadamente corrupto (Jer17.9), por isso a justiça dos homens é falha.
Mas a justiça do Rei Jesus é perfeita!
Ele nunca falha!
Ele é Fiel, Bom e Justo!
Podemos confiar na “monarquia espiritual” do Rei dos Reis!
O Rei é o Dono desse tesouro chamado Felicidade.
A Felicidade é um “presente” que não está a venda, só pode ser ganha!
Só o Rei pode dá-La a quem Ele quiser!
Você quer?

Paz! Sarah Sheeva
19.10.2010

Medo X Amor

Medo X Amor

Onde há medo, não há certeza de ser amado.

Toda área da sua vida onde você ainda tem medo, é uma área onde você ainda não sabe o quanto Jesus te ama.
O verdadeiro amor lança fora o medo. Se há medo, não há fé.
Se há medo, não há a certeza de que você é amado(a) naquela área.
Por outro lado, se há a certeza, não há medo.
O medo desaparece quando há a certeza de que somos amados naquela área.

Do quê você tem medo?
Muitos solteiros e solteiras sentem medo de ficar só…
Mas se você sabe o quanto Jesus te ama nessa área sentimental, se você sabe o quanto Ele quer a sua felicidade nessa área, então há uma CERTEZA no teu coração, a certeza de que Ele quer te dar a melhor companhia para viver ao seu lado nessa vida. A certeza de que Ele te ama, e de que Ele está no CONTROLE dessa área da sua vida também.
Aí o medo some, desaparece!
Porque?
Porque a certeza e a fé invadem o teu coração, e destroem completamente o medo!
Temos que descobrir e confrontar os “medos” que se escondem dentro de nós… eles se escondem porque sabem que terão de fugir na hora que o amor de Deus entrar dentro de nós… eles se escondem em determinadas áreas não resolvidas dentro de nós, porque? Porque eles querem permanecer, querem continuar no controle das nossas emoções… mas nós não podemos aceitar isso. Nós não podemos aceitar viver com medo em nenhuma área das nossas vidas, sabe porque?
Porque o Verdadeiro amor lança fora o medo:
1 João 4:
16. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.
17. Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.
18. No amor não existe medo; antes, o perfeito (verdadeiro) amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.
19. Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

Se Jesus já nos amou, e nos ama tanto… então porque nós aceitamos viver com medo? Porque nós aceitamos a dúvida, a incerteza de sermos amados ou não? Porque aceitamos que os medos continuem sendo nossos “conselheiros” falando em nossos pensamentos?
Decida agora, e não aceite mais viver dessa forma.

Ore a Deus assim:
“Senhor, em nome de Jesus, eu te peço que me revele o quanto o Senhor me ama… Te peço que me mostre o teu amor por mim, me mostre, me faça ver, me faça enxergar! Eu quero saber, e quero experimentar o teu amor… Em nome de Jesus, Amem!”

Tenho certeza que, assim como o Senhor tem feito comigo, Ele também vai fazer com você: Ele vai te revelar o quanto Ele te ama!
Vale a pena confiar no amor de Deus por nós!
Ele é fiel.
Paz,
Miss. Sarah Sheeva