Uma palavra forte para os casados que enfrentam dificuldades no casamento

par-aliancas-ouro-18k-5mm-anatmicas-sedex-gratis-2811-MLB4816097344_082013-F

Quando Deus restaura um casamento, quando Deus entra num relacionamento para operar restauração (quando um casal realmente quer esse tratamento), Deus trabalha tão profundo na estrutura do relacionamento, que o casamento se torna inabalável!

E porque ele se torna inabalável?
Porque aquele casamento foi RE-formado POR DEUS, ele foi reedificado na Rocha (que é Cristo), e essa Rocha É INABALÁVEL!
Por isso, se o teu casamento está abalado, precisando de um milagre, E SE vocês dois estão DISPOSTOS ao tratamento de Deus, MERGULHEM nesse tratamento!
Busquem a Deus, busquem ajuda pastoral, aconselhamento, acompanhamento, e se preciso for, busquem ajuda profissional (ajuda terapêutica, psicológica, terapia de casal, etc).
Não permitam que hajam barreiras, preconceitos, ou reservas no coração, mas estejam totalmente abertos a todo tipo de tratamento que Deus trouxer até vocês!
Deus QUER restaurar todo casamento, e se Ele não fez ainda, não é porque Ele não quer, é porque nós estamos fazendo alguma coisa errada. O problema nunca está em Deus, está em nós!
Precisamos entender isso.
Deus vai operar a cura interior NA MEDIDA que mergulharmos NELE.
No processo de restauração de um casamento, Deus vai tratar com o casal, e vai tratar cada um individualmente também. É preciso estar disposto e disposta a isso, é preciso querer…

Mas cuidado, cuidado com relacionamentos que não são reconhecidos como casamento. Cuidado para não chamar de “casamento” o relacionamento que na verdade é “amasiado” (pessoas que moram juntas, mas não são casados na lei – É preciso cumprir a “lei” de Deus e a lei dos homens), cuidado para não chamar de “casamento” um relacionamento que na verdade é pecaminoso, que não tem a benção de Deus… porque a benção de Deus está sobre aqueles que O obedecem, não sobre aqueles que andam segundo a carne (só fazem o que querem).
Cuidado também com os re-casamentos, principalmente com aqueles que são formados a partir da destruição de um casamento anterior (tipo, a mulher tirou o marido da outra, e agora ele é marido dela. Agora ela quer a “benção” de Deus para viver bem com um homem que ela TIROU de outra mulher!) Como isso seria possível? Nunca. Não pense que Deus é bobo, porque Ele não é.
Se o casamento foi iniciado com pecado desse nível, PRIMEIRO será preciso haver uma atitude de fechar as brechas (procurar a pessoa que você traiu, se humilhar, pedir perdão, confessar, etc) porque o mundo espiritual funciona na base das legalidades.
Não se pode construir uma CASA (casamento) sobre um lamaçal PODRE de pecado, e querer se abençoado por isso!
O que vai acontecer? A podridão vai CORROER a casa! Mais cedo, ou mais tarde!
Deus não compactua com o pecado.
É preciso SANTIFICAR o relacionamento, para então RECEBER a benção de Deus.
Portanto, se você se casou EM DEUS, e fez tudo CONFORME a Palavra de Deus, e se, mesmo assim o teu casamento está enfrentando dificuldades, creia: Deus vai restaurar!
Mergulhe nEle!
Busque de todo o coração!
Deus vai restaurar!

“Disponde, pois, agora o vosso coração e a vossa alma para buscardes ao Senhor vosso Deus; e levantai-vos, e edificai o santuário do Senhor Deus, para que a arca da aliança do Senhor, e os vasos sagrados de Deus se tragam a esta CASA, que se há de edificar AO nome do Senhor.” (1 Crônicas 22:19)

Abaixo compartilho um texto maravilhoso do Pr.Josué Gonçalves que encontrei num blog:

“E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa,…” 
Leitura bíblica Mateus 7: 24-27

Em nenhum momento Jesus disse que pelo fato de estarmos edificando sobre fundamento sólido, com material de primeira e de acordo com o projeto original, não teríamos problemas. Ele disse que o vento iria soprar, a chuva iria cair torrencialmente e haveria combate contra a casa. Jesus não prometeu te livrar dos problemas, mas sim no problema. Deus não livrou Daniel da cova, mas o livrou na cova. Problemas existem, mas podem ser superados.

“Seu casamento é fortalecido à medida que os dois aprendem a transformar tragédias em triunfos e tornam-se vencedores em vez de vítimas”. (Barbara Russel Chesser)

O que pode desencadear uma crise no relacionamento de casal? São várias coisas…vários motivos…várias razões….várias argumentações…etc.
O que desencadeou a crise no casamento de vocês? É necessário que vocês dialoguem sobre essa questão.
A transparência de forma sadia e equilibrada, vai ajudar no processo de cura e restauração no casamento. Mas tudo deve ser feito em amor e debaixo de muita oração.
Como sair fortalecidos da crise:

1. Saiba que o casamento é o único “jogo” em que os dois podem “ganhar”. Em artigo para a revista seleções o psiquiatra Pittman disse: “Não há como ganhar contra seu cônjuge. Ou vocês dois ganham, ou os dois perdem”.

2. Não use o cônjuge como bode expiatório. Enfatize os sentimentos positivos de um para com o outro e não dê muita atenção aos sentimentos negativos. Focalize as qualidades do companheiro (a).

3. Mantenha os canais de comunicação aberto. É nestes momentos de turbulência que o casal precisa conversar muito, dialogar e “discutir construtivamente”.

4. Evite a todo custo que o “passado” seja o combustível que alimenta e torna a crise mais intensa e prolongada. Podemos até lembrar o passado para recapitular as lições aprendidas, mas é necessário tirar o foco do passado e colocá-lo no futuro. (Fl. 3:13)

5. Mantenha-se aberto para receber ajuda e aprender com outras pessoas. Sempre haverá pessoas com mais experiência que poderão ajudar, pode ser um membro da família, um irmão, um amigo ou alguém da liderança da igreja que trabalha na área de aconselhamento.

6. Lute contra a tempestade, motivado por aquilo que gera esperança. Os chineses talvez tenham sido os primeiros a reconhecer a natureza dupla da crise. Sua palavra para crise é escrita com dois caracteres, um que significa perigo e um que significa oportunidade. A crise é, de fato, mais do que apenas um problema – é um momento decisivo, uma catalisadora de forças para quebrar velhos padrões, evocar novas reações e determinar novas direções e novos inícios. Reflita nas palavras deste verso: “Dois espiam pela grade; um vê a lama e o outro, estrelas de verdade” Ler Rm. 5:3-5.

7. Seja sensível para perceber a presença de Deus. Este é um recurso espiritual muito poderoso. Concordo quando alguém diz que, sua razão para esperança e sua fé em Deus, lhes dá um senso de propósito e força. A percepção da presença de Deus te faz mais paciente, perdoador, o leva a vencer mais depressa a raiva, a ser mais positivos e a apoiar mais um ao outro. ( Luc.7: 47; Efésios 4: 32)

8. Lute consciente de que as promessas de Deus não morrem. Morrem os profetas, mas Deus é fiel no que prometeu. Quem tem promessas, tem razões para ter esperança. (Hb. 13:5; 6:18,19; Sl. 46:1)

9. Faça uma leitura positiva da crise. Paulo nos ensina sobre isso em Rm 5:3-4 quando diz: a) nos gloriamos nas tribulações; b) a tribulação produz a paciência; c) paciência a experiência; d) experiência a esperança.

10. Faça da crise uma oportunidade para o Espírito Santo desenvolver em você o seu fruto (Gl. 5:22). A crise pode adubar o terreno do nosso coração para a produção do fruto do Espírito.

11. Administre o problema com inteligência emocional. Deixa a razão ir à frente da emoção. Nunca se esqueça que os mansos herdarão a terra. (Mt. 5:5)

12. Olhe para o casamento com suas dificuldades como ferramenta de Deus para libertar você de você mesmo. Uma das maiores vitórias de Deus em nossas vidas é quando Deus nos liberta de nós mesmos. O maior problema do homem é o próprio homem.

13. É na crise que se mede a profundidade de caráter. Os problemas, as tensões, as crises, têm este papel, revelar quem verdadeiramente somos.

14. É na crise que mostramos ao diabo, que a gente serve a Deus pelo que Ele É, e não por aquilo que Ele nos dá. (Ex. Jó) Ao perder tudo, Jó disse, receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios. (Jó 2:10)

Ernest Hemingway escreveu: “A vida quebra a todos, e depois muitos ficam mais fortes nos lugares quebrados”. Enquanto muitos casamentos fracassaram depois de uma crise, os cônjuges que sobreviveram a catástrofes dizem frequentemente, ao olhar para trás: – “Saímos mais fortes agora. ”
(Texto do Pr. Josué Gonçalves – extraído do Blog: http://ibrcasais.blogspot.com.br/2011_03_27_archive.html)

imagesCAOEWT3O

Que Deus os abençoe,
Pastora Sarah Sheeva
01/03/2014

Se o pecado foi grande, o arrependimento tem que ser MAIOR!

martelo

Se o pecado foi grande, o arrependimento  e a mudança de atitudes precisam ser maiores.
A mudança de atitude revela o arrependimento.
O arrependimento traz a mudança de atitude.
Se a atitude impura e pecaminosa continuar se repetindo, sendo a mesma na vida de uma pessoa, então é porque não houve arrependimento, não houve mudança real.
“Arrependimento” sem mudança se chama: remorso, e isso é apenas sentimento de CULPA, e não um verdadeiro arrependimento.
Sempre que existe um VERDADEIRO arrependimento, há uma MUDANÇA de atitude.

No antigo testamento podíamos ver que a lei era rígida com os homens, os protocolos precisavam ser cumpridos, todos, se não, seguia-se um juízo terrível. Hoje no tempo da maravilhosa Graça de nosso Senhor Jesus Cristo, muitos relaxaram tanto, que chegaram ao ponto de perder o temor do Senhor que é o princípio da sabedoria.
No tempo da lei (AT) se alguém errasse, tinha que pagar caro pelo seu erro, duramente. E dependendo do erro, do pecado, a punição e sentença era mais (ou era menos) pesada.
Um bom exemplo disso eram as punições para os pecados ligados ao sexo ilícito, ou de qualquer prática sexual impura.
A punição para os pecados sexuais eram quase sempre a MORTE, pois eram considerados pecados gravíssimos.
Mas e se compararmos com os dias de hoje?
Como se faz em nossos dias?
Como a Igreja se comporta com os pecados hoje?
E quando alguém do altar peca?
Como a igreja lida com isso hoje em dia?
Como a Igreja trata os pecados sexuais hoje?

Entendemos que o Sangue do nosso Senhor Jesus não foi derramado em vão, e que muitos, milhões e milhares de pessoas já receberam e  recebem o perdão e a salvação que Ele conquistou com Seu doloroso sacrifício.
Entendemos que foi esse Maravilhoso Sangue que nos purificou de TODOS os pecados que praticamos, e dos quais… nós… NOS ARREPENDEMOS!
Ou seja, recebemos o PERDÃO pelos pecados  DOS QUAIS  nós nos arrependemos!
E não dos que NÃO nos arrependemos, não dos que continuamos a praticar!
Se continuamos a praticar o mal, então é porque nós AINDA não nos arrependemos! E precisamos continuar a BUSCAR o arrependimento por meio da oração, CONFISSÃO, e leitura da Palavra, incessantemente.
Porque?
Porque se não gerarmos arrependimento, a prática do pecado pode virar algo ainda pior: a iniquidade = pecados ligados a convicção mental e a falta de arrependimento.
Isso vai crescendo dentro da pessoa como uma bola de neve, e não tem fim (o fim é a morte espiritual total).
Não é a toa que o próprio diabo foi o primeiro a ser chamado de INÍQUO. (Ezequiel 28.15)

Então, falando em Pecado, Arrependimento e Perdão… Imaginemos que pessoas comuns, desconhecidas, não populares venham a pecar, a caírem na prática de pecados, principalmente de pecados sexuais… o que isso afeta (afetaria) a vida da maioria dos irmãos e das igrejas na nação?? E o que isso afeta a opinião pública sobre os cristãos e a Igreja??
Nada.
Não afeta em quase nada.
Mas se imaginarmos o contrário, pessoas conhecidas, populares e famosas em nosso meio, líderes, ministros de Deus, personalidades do meio “gospel”…
Se pessoas como essas caem em pecados graves, aí a situação complica.
Porque? Porque a Igreja é sim, afetada como um todo, e individualmente.
E porque a Igreja é afetada?
Porque se a pessoa (famosa/famoso) estava no altar do Senhor, então estava exposta ao mundo natural e espiritual.
Por estar ali, se tornou alguém “formador de opinião” para o povo de Deus, alguém influenciador para muitos, e também alguém que carregava a reputação de Deus, e que expunha essa reputação para todos.
Sendo assim, se essa pessoa expôs o nome do Senhor (se tornou famoso/famosa, subiu no altar) e pecou, então essa pessoa manchou a reputação do Rei, expôs o nome do Rei ao ridículo! E provavelmente sujeitou Seu nome Santo à zombaria, incitando a incredulidade e perda da fé no coração de muitos.
Por isso, nesses casos, se faz necessário um arrependimento que chame atenção EQUIVALENTE ao escândalo causado pelo pecado. Algo coerente.
Ou seja, s
e o pecado foi grande, o arrependimento tem que ser ainda maior!
Porque?
Por causa do BOM NOME.
Por que nós (cristãos) carregamos o nome Santo do Senhor conosco.
Nós falamos em nome dEle, fazemos as coisas em nome dEle, vivemos pelo nome dEle!
Não podemos manchar esse nome! Ele é o Rei! Ele é Santo!
Veja o que diz em Provérbios 22.1 sobre o “Bom nome”: 

“Vale mais TER um BOM NOME do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro.”

Veja algumas passagens onde Deus mostra a importância da reputação do Seu Nome:

 “Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.” (João 14:14)
“Porém escolhi a Jerusalém para que ali estivesse o meu nome…” (2 Crônicas 6:6)

“Nem jurareis falso pelo meu nome, pois profanarás o nome do teu Deus. Eu sou o Senhor.” (Levítico 19:12)
“Antes puseram as suas abominações na casa que se chama pelo meu nome, para a profanarem.” (Jeremias 32:34)
“Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” (Mateus 18:20

“E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome.” (Atos 9:16)
“E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.” (Apocalipse 2:3)
“Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei…” (Isaías 42:8)

 O nome do Senhor deve ser algo carregado com extremo zelo e temor em nossas vidas e corações.
Se somos líderes, se estamos nos altares, somos “luzeiros” do nome dEle para outras pessoas!
Então imagine a seriedade da situação onde uma pessoa que está no altar, que tem popularidade, que carrega o nome do Senhor dessa forma, cai em pecado, e NÃO APRESENTA UMA HISTÓRIA DE ARREPENDIMENTO VERDADEIRO (e igualmente ou mais escandalosa que seu pecado). Imagine isso diante de Deus…
A pessoa se arrependeu, MAS seu arrependimento não teve TANTA REPERCUSSÃO quanto seu PECADO… Isso é grave!
Porém hoje em dia NÃO TEMOS VISTO os líderes DAS IGREJAS levarem isso a sério. Pelo contrário, temos visto muitos relevarem e fazerem “vista grossa” usando a graça de Deus como “desculpa” para passar a mão na cabeça de verdadeiros escândalos com o nome do nosso Senhor, escândalos que tem levado MUITOS “pequeninos” a pecarem e se desviarem da fé.
Vejamos o que o Senhor Jesus falou sobre cristãos levarem os outros a pecarem:

“Mas se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar.
“Ai do mundo, por causa das coisas que fazem tropeçar! É inevitável que tais coisas aconteçam, mas ai daquele por meio de quem elas acontecem!
Se a sua mão ou o seu pé o fizerem tropeçar, corte-os e jogue-os fora. É melhor entrar na vida mutilado ou aleijado do que, tendo as duas mãos ou os dois pés, ser lançado no fogo eterno.
E se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. É melhor entrar na vida com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no fogo do inferno”. (Mateus 18:6-9, versão NVI)

O motivo pelo qual hoje em dia muitos não querem se converter, não querem ir a Igreja, é esse: estão cansados de ver pessoas que falam em nome de Deus pecarem, e não receberem “correção justa” diante da IGREJA  e da sociedade.
Um ministro do altar que cai em adultério, por exemplo, deve sair do altar por um tempo não determinado, e deve permanecer fora do altar até que ele produza frutos dignos de arrependimento: ATÉ QUE SEU ARREPENDIMENTO SE TORNE MAIS FAMOSO DO QUE SEU PECADO.
Em alguns casos, como o de assassinos que se arrependeram de seus crimes, esses não devem jamais ir ao altar para ministrar.
Porque?
Porque mesmo que saibamos (e crermos) que houve arrependimento, há pessoas, parentes, conhecidos das vítimas dos crimes cometidos por aquela pessoa (no tempo da sua ignorância) que ainda estão vivos hoje, e que serão profundamente feridos por verem a Igreja colocar num lugar de “honra” (altar) o assassino de um ente querido. Ainda que o crime tenha sido cometido no tempo da ignorância, ainda que tenha havido perdão. Mas uma pessoa dessas não tem mais o BOM NOME. E por isso, e por amor e zelo as famílias lesadas e as pessoas ligadas as vítimas, não devemos jamais por essas pessoas no altar de Deus para ministrar.
Jamais.
Para esses que cometeram crimes desse nível (de assassinato), restam muitas outras obras na seara do Senhor para serem feitas, eles não deixarão de servir. Há obras missionárias, obras de caridade, obras em locais carentes, obras em locais de difícil acesso. Há muitas obras!
Porém, essas pessoas que perderam o BOM NOME não devem ocupar os locais de DESTAQUE na Igreja, não devem ser levados aos meios de comunicação e a mídia JAMAIS, pois não servirão de bom exemplo, por mais que se esforcem. Perderam o bom nome. Nesses locais (de destaque) devem ser colocadas pessoas que carregam um BOM NOME.

Há pecados que fazem a pessoa perder o BOM NOME para sempre. É assim mesmo.
Veja a história da rainha Vasti na Bíblia e você verá. Ela perdeu o BOM NOME e foi excluída do Reino para sempre porque DESONROU o Rei… (Ester 1.1-19)

Quando alguém peca feio, e não se arrepende, ainda que insista em permanecer ministrando nos altares das igrejas, se não se arrependeu, vai colher as consequências do pecado, e mais cedo ou mais tarde, veremos essas consequências surgirem e envergonharem a Igreja do Senhor e Seu Bom Nome.
Cabe a Igreja e a liderança ter o bom senso de poupar o altar do Senhor dos escândalos, disciplinando, selecionando as pessoas. Fazendo do ALTAR de Deus um lugar para “guerreiros preparados” e não um lugar de status e entretenimento! Pois a graça de Deus não anula a lei de semeadura e colheita (Mt 7.2), e também não anula o juízo (Hb 9.27).
Por outro lado, quando alguém peca feio e SE ARREPENDE, acontece mudança total de atitudes na vida daquela pessoa, e isso muda TUDO diante de Deus e da Igreja. Um pecado grave pode ser motivo de muito escândalo, vergonha e tristeza. Mas um arrependimento ESCANDALOSO pode ser motivo desencadeador de muita cura, libertação, transformação e honra para a Igreja! E assim glorificar poderosamente o nome do nosso Senhor!

Falando nisso eu me lembrei do testemunho (recente) do Pastor Benny Hinn, que após sua mulher pedir o divórcio, e a notícia desse divórcio escandalizar quase o mundo inteiro dos “gospels”, ele lutou, e reconquistou sua esposa, restaurando seu casamento. E então casou NOVAMENTE com a MESMA mulher, numa cerimônia gigante e “escandalosa” no auditório do “Holyland” na Flórida!
Isso é o que eu chamo de COBRIR o mal com o bem! De “limpar o nome”!

Deus é Santo. Seu nome é Santo.
Tenhamos TEMOR Igreja, com esse NOME.
Tenhamos TEMOR com Seu ALTAR.
Tenhamos TEMOR de pecar, sim. Mas tenhamos MAIS temor ainda em nos ARREPENDER!
Se o pecado foi grande, o arrependimento TEM QUE SER MAIOR.
O nosso Deus é AMOR, mas Ele também é FOGO CONSUMIDOR!
Deixo com vocês Hebreus 12:

“Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta,
Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.
Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos.
Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado.
E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, E não desmaies quando por ele fores repreendido;
Porque o Senhor corrige o que ama,E açoita a qualquer que recebe por filho.
Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija?
Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos.
Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?
Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.
E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.
Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados,
E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado.
Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;
Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.
E ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura.
Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
Porque não chegastes ao monte palpável, aceso em fogo, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade,
E ao sonido da trombeta, e à voz das palavras, a qual os que a ouviram pediram que se lhes não falasse mais;
Porque não podiam suportar o que se lhes mandava: Se até um animal tocar o monte será apedrejado ou passado com um dardo.
E tão terrível era a visão, que Moisés disse: Estou todo assombrado, e tremendo.
Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos;
À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;
E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.
Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus;
A voz do qual moveu então a terra, mas agora anunciou, dizendo: Ainda uma vez comoverei, não só a terra, senão também o céu.
E esta palavra: Ainda uma vez, mostra a mudança das coisas móveis, como coisas feitas, para que as imóveis permaneçam.
Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade;
Porque o nosso Deus é um fogo consumidor.” (Hebreus 12:1-29

Paz, Pastora Sarah Sheeva
01/02/14

Solteiros, como viver um grande amor?

Para viver um grande amor a primeira coisa que você precisará é: ter disposição para ser amigo e amiga.

A segunda coisa é que: para ser amigo/amiga você precisará ser alguém resolvido consigo mesmo, alguém saudável emocionalmente, alguém curado/curada nas emoções. Se você deseja se relacionar com alguém resolvido e curado, então você também precisa ser resolvido e curado para ter isso para oferecer.

Todo grande relacionamento estável, de sucesso, começa pela amizade. E todas as outras coisas necessárias para um bom relacionamento SURGEM na medida que essa amizade avança. Essas coisas que “surgem” são os sinais que vocês dois precisarão para saberem que estão se relacionando com a pessoa certa. (A “pessoa certa” é aquela/aquele que tem as qualidades que você deseja, e os defeitos que você aguenta).

Mas para CONSEGUIR ver os “sinais” de que a pessoa com quem estamos nos relacionando é (ou não) a “pessoa certa”, será necessário (e importantíssimo) não dar lugar a carne, e assim: evitar que os desejos sexuais nos ceguem.

De que forma?

Evitando ao máximo o contato físico nos primeiros meses de relacionamento. Não beijando, não abraçando, não tocando.                Se é difícil? Sim, mas não tem outro jeito de descobrir o caráter ANTES de se envolver.

O contato físico não ajuda a discernir o caráter, só o corpo. E o corpo pode enganar muito.

Muitas pessoas que tem um corpo agradável, possuem um caráter desagradável. Por isso o contato inicial com o corpo da outra pessoa PODE nos confundir muito sobre o caráter da mesma.  Muitas pessoas doentes emocionalmente e mal resolvidas, apelam para o contato físico rápido em um relacionamento como uma forma de “maquiar” suas feridas e incapacidade de amar. Alguém que insiste em começar um relacionamento pelo contato físico, geralmente não tem muita coisa a oferecer além disso (do contato físico). Por isso, quem não consegue iniciar um relacionamento SEM o contato físico, NÃO ESTÁ PRONTO para um relacionamento. E não está pronto para viver um grande amor.

Não comecem um relacionamento pelo beijo, por abraços, por toques… comecem por uma boa amizade, uma boa companhia… e observem se vocês SE DÃO BEM como amigos. Observe se os defeitos de vocês “combinam”, se vocês conseguem se suportar. A parte dos defeitos é a mais difícil de descobrir, porque para ver essa parte é preciso haver discussão, briga, estresse… e isso nem sempre acontece rápido, é preciso de um TEMPO para que isso aconteça. Por isso o casal que está se conhecendo não deve ter pressa nesse período de amizade, pois é somente nesse período que os defeitos poderão ser notados, observados, sem que precise haver um grande envolvimento entre vocês, e portanto, os riscos de sofrimento caso o relacionamento termine, são menores.

É inteligente conhecer a pessoa antes de se envolver. E ao contrário do que muitos pensam, a paixão e o amor não são “acidentais” entre as pessoas, não, eles são ESCOLHAS.

Já é comprovado que a mente escolhe (inconscientemente) por QUEM deseja se apaixonar. Saber disso e aprender a lidar com isso não é frieza não, é cuidado, zelo… cuidado com a própria alma, com as próprias emoções, e com as emoções da outra pessoa.

É como diz a minha amiga Talita Gandra: “Se não serve pra ser amigo, não serve pra ser marido”.
Ou seja: Se o homem não consegue nem ser um bom amigo, se ele não consegue nem ser uma boa companhia para a mulher, como ele será um bom marido?? E isso vale para os dois casos: a mulher que não sabe ser companheira do homem, também não será uma boa esposa pra ele.

Sejamos inteligentes, e não ansiosos.

Para viver um grande amor é preciso ser INTELIGENTE emocionalmente = sabendo como iniciar um relacionamento com zelo, respeito, atenção, sinceridade… e outras coisas que fazem parte de uma boa AMIZADE.  Um grande e verdadeiro amor é algo que vai muito além de um desejo sexual, de uma atração física… ainda que, quando a amizade se torna um grande amor, a atração e o desejo SURJAM naturalmente, e passem a fazer parte do relacionamento, que começou pela amizade.

E como conseguir começar pela amizade? Seja alguém saudável e resolvido consigo mesmo. Seja um bom amigo, uma boa amiga para você mesmo, seja fiel a Deus e a você mesmo… e então você estará pronto/pronta, para viver um grande amor.

Paz, Sarah Sheeva

27/01/14

Vamos refletir sobre uma Cultura (maligna, mundana e ridícula) que destrói os sonhos dos solteiros

Vamos refletir sobre uma Cultura ridícula que destrói os sonhos dos solteiros:

Uma das maiores batalhas que os solteiros enfrentam no Brasil (não sei em outros países, mas no Brasil) é a cultura (ridícula) de que “ser solteiro(a) é ser derrotado(a)” ou de que “ser solteiro(a) é estar-SOZINHO(A)-na-vida”. Isso é um engano absurdo e é totalmente cultural. E isso atrapalha MUITO o tempo de espera de cada solteiro(a) (pela pessoa certa).
Por mais incrível que pareça, essa cultura (absurda e enganosa) procede até mesmo de pessoas CASADAS nas igrejas (e até de líderes), que pensam dessa forma sobre os solteiros e (muitas vezes) TRATAM os solteiros como se eles fossem pessoas “amaldiçoadas” que estão “desgraçadas-na-vida” por “não-terem-ninguém”, como se ser solteiro fosse “o FIM”! E ser casado fosse “o máximo”… Mas isso não é verdade, é MENTIRA. Porque?
Porque não basta ser casado(a) gente, não basta ter uma aliança na mão esquerda, não basta dizer “eu tenho alguém”… tem que CASAR CERTO (casar com a pessoa certa!), SE NÃO meu bem, ADEUS felicidade conjugal!
Essa é a cultura do mundo que faz (HOJE) com que muitas pessoas acreditem que o casamento é o-fim-da-história-de-amor de um casal. Também é essa cultura que faz com que as pessoas pensem que casamento é RUIM, e que destruiu os sonhos de muita gente! Porque?
Porque PESSOAS que se casaram debaixo DESSA OPRESSÃO dessa cultura (de achar que ser solteiro era ser desgraçado) acabaram se casando por PRESSÃO! Pressão dessa crença errônea, e por causa dela acabaram se casando PRECIPITADAMENTE com alguém, SEM CONHECER DIREITO A OUTRA PESSOA, se casaram para “tapar-o-buraco” (que essa cultura abriu), e acabaram vivendo casamentos horríveis por causa disso! (E divulgaram suas histórias tristes como se elas fossem a única verdade… mas não é!! Existem sim, casamentos maravilhosos até hoje!!!)

Então temos que lutar contra essa mentira ridícula que tem feito muitos solteiros e solteiras terem VERGONHA de serem solteiros, e até mesmo SE JOGAREM em casamentos errados! (Meu Deus!!!)
Qual é a verdade?
A verdade é como diz aquele velho ditado: “É melhor estar só do que mal acompanhado!”
E a VERDADE Bíblica é que: é melhor SER solteiro, do que ser CASADO(a) com a pessoa ERRADA. Porque?
Porque Deus ODEIA o divórcio!
Por isso, a não ser que tenha um motivo REAL respaldado NA PALAVRA de Deus (Bíblia), não pode divorciar!!!
I’m sorry darling!!!
Portanto, quem é solteiro não está “encalhado” não, está na “prateleira” esperando a sua hora, sendo preparado no azeite-do-Senhor para entrar nas “recâmaras-do-Rei” na hora certa.
“Encalhado” mesmo é quem se casou com a pessoa errada (e muitas vezes até zomba dos solteiros, mas na verdade, essa pessoa casou errado) e hoje tá até “orando” pra-Deus-levar-seu-cônjuge! (ai que vergonha meu Deus!)
Por isso povo de Deus, vamos parar com essa “palhaçada” mundana de pensar que ser solteiro é uma “desgraça”, isso é cultura do mundo gente (não do Reino!), isso é ridículo gente. Nós temos que mudar isso URGENTE.
Ser solteiro FAZ PARTE de um tempo na vida de TODAS as pessoas normais.
E isso deve ser levado de forma saudável (e por mais difícil que pareça), de forma feliz.
Todos os solteiros e solteiras devem ter orgulho desse tempo, e serem felizes durante esse tempo, aproveitando esse tempo para fazerem coisas, realizarem coisas que no tempo de casados NÃO PODERÃO realizar mais.
Veja que Eclesiastes 3 diz que há tempo PARA TODAS AS COISAS nessa vida.
Vamos aproveitar o tempo que estamos vivendo, sabendo que, ele não voltará mais.
E dá a glória a Deus! Pois somente Ele é Digno!
Com amor,
Paz,
Sarah Sheeva

O que é o Casamento?

O que é o Casamento?

Me perguntaram ontem o seguinte: “O que você acha de ministros de Deus (famosos) se casarem pela 2ª ou 3ª vez?”

Resposta:

Antes de qualquer coisa:

O que é o casamento?

O casamento é a união espiritual, física e emocional de um homem com uma mulher. Isso é o que chamamos de casamento. Moralmente falando, o casamento é um juramento no altar de Deus. É um juramento público a Deus e aos homens de que queremos passar o resto das nossas vidas ao lado daquela pessoa.

Biblicamente há confirmações dessa definição. Porém, quando falamos da parte espiritual, muitos (até crentes) pensam que o que “casa” (espiritualmente) as pessoas é o contrato, o papel.

Mas não é.

Quando insistentemente me perguntaram sobre esse assunto, vi a urgente necessidade de compartilhar com vocês desse conhecimento que recebi de Deus (sobre as Escrituras), e que exploramos bastante durante o Congresso de Santificação nível 1, na ministração sobre “Sexo e Transferência de espíritos”.

Quando vejo um re-casamento, o que me preocupa não é o contrato, o “papel”, ou a “carta de divórcio”, porque? Porque na ótica espiritual, não é o papel que CASA as pessoas, É O SEXO que casa!

O sexo casa (espiritualmente) as pessoas.

Casamento onde não houve sexo, deve ser anulado, porque sem sexo não houve casamento.

Foi por isso que Jesus disse (em Marcos 10) que a carta de divórcio dos fariseus não podia separar o que o sexo era capaz de unir (Deus criou o sexo, e foi com propósitos), veja as palavras que Jesus disse:

“portanto, o que Deus uniu, o homem não separa” (Marcos 10.9)

Traduzindo:

O que Deus uniu (através do sexo=que faz a união espiritual), o documento no papel, a carta de divórcio do homem NÃO SEPARA.

Por isso os fariseus ficaram com muita raiva de Jesus, porque Ele mostrou que aquela carta de divórcio (que os fariseus TANTO confiavam) não tinha o poder nenhum de quebrar a aliança feita pelo ato sexual (criado por Deus para o casamento).

Só o Sangue de Jesus tem poder  de quebrar alianças!!!!!

É por isso que, se houver separação contratual (divórcio) mas NÃO HOUVER DESLIGAMENTO ESPIRITUAL (pela oração, pelo PODER do Sangue de Jesus) NÃO ADIANTA NADA o documento do divórcio!!! Jesus explicou bem isso: o papel não tem poder sobre as coisas espirituais!

É por isso que existe TANTA  GENTE  separada  NO PAPEL (MAS que, como NÃO OROU FAZENDO O DESLIGAMENTO) continua PRESO a pessoas do passado!!! Porque o papel NÃO PODE SEPARAR o que o sexo UNE!!!

Veja bem, isso não significa que O PAPEL, o contrato deva ser dispensado. Devemos sim cumprir também a lei dos homens de acordo com o mandamento de Deus. Se houver um casamento na igreja (diante de Deus), então também deve haver um casamento contratual (diante dos homens). É bíblico cumprirmos essas coisas, as “leis” de Deus e as “leis” dos homens (Lucas 20.25).

Porém, enfatizo mais uma vez que (ESPIRITUALMENTE FALANDO) o que CASA as pessoas não é o papel, é o sexo.

(quem quiser saber mais a fundo sobre isso, vá a minha ministração do Congresso de Santificação nível 1, sobre “Sexo e Transferência de espíritos”).

Mas voltando a pergunta que me fizeram acima:

A nós não cabe julgar ninguém, cabe seguir a Palavra de Deus.

Mediante isso, quando um crente, ministro de Deus (famoso ou não), se casa pela segunda ou terceira vez, o mais preocupante para mim não é se ele(ela) se casou pela 2ª( 3ª ou 4ª) vez…  O QUE DEVERIA nos preocupar mais  é SE aquele ministro fez abstinência sexual, SE ele(ela) se SANTIFICOU ENTRE O 1º CASAMENTO E O 2º casamento!

Eu me pergunto: Será que ele e a nova mulher se casaram em santidade?

“Ah pastora, mas isso não é problema nosso, é um problema da vida particular deles!”

Você acha?

No caso de ministros famosos, pessoas públicas, eu não penso assim.

Penso que A PARTIR DO MOMENTO que um ministro de Deus é levantado POR DEUS para uma obra de exposição, de evidência (fama), ele ou ela terão a OBRIGAÇÃO de serem exemplos para a nação. Um crente que também é pessoa publica carrega a RESPONSABILIDADE de ser um referencial para milhares de pessoas. Assim, eles passam a representar o Rei diante das mídias. Isso é MUITO sério. Quem se casa pela segunda, terceira, milésima vez que seja, tem OBRIGAÇÃO de dar satisfação ao povo de Deus, a nação, sobre sua conduta. Não tem essa de “a vida é minha”, porque se tiver, então Jesus Cristo NÃO É o Senhor (Dono) daquela pessoa!

Portanto, a minha preocupação MAIOR com quem sai se casando de novo é: se ele(ela) se santificou ANTES de se casar DE NOVO. Porque se não se santificou entre um casamento e outro, se entre o casamento desfeito e o início de outro casamento, ele não fez ABSTINÊNCIA, então ele ESTARÁ REPETINDO o mesmo erro  (e sem querer ser pessimista:  já poderá se preparar para o próximo divórcio! O que trará ainda mais escândalos para o Reino de Deus!)

Se a raiz da árvore estiver podre, ela não vai durar muito tempo em pé… o primeiro vento vai derrubar.

Ou seja, do que adianta o cara se casar (no papel, na igreja, etc, seja pela 2ª, 3ª vez… digo isso porque vejo um monte de gente PRESO a isso, apontando o dedo!) mas do que adianta a preocupação com o “papel”, se na verdade o problema mais sério é que (ENTRE UM CASAMENTO E O OUTRO) ele(ela) pode estar vivendo uma vida sexual ilícita (sem ser casado)!!???

O que me escandaliza não é um segundo casamento, é a INCAPACIDADE de quem se divorciou de se GUARDAR sexualmente de novo, ANTES do SEGUNDO/TERCEIRO casamento!!!

Entenderam?

Isso é GRAVE!

Experimente perguntar a algum desses ministros assim:

“Você se casou em santidade?”

“Você fez abstinência (depois que se separou) até teu 2º/3º casamento?”

“Vocês dois se guardaram para o casamento?”

Aí vocês vão ver o que é escândalo para Deus.

Deus abomina que façamos alianças que não são da vontade dEle.

Sexo é aliança, é casamento espiritual entre pessoas. Sexo com quem (ainda) não somos casados é aliança ESTRANHA para Deus! Por isso que a Igreja realiza a cerimônia, para buscar a BENÇÃO de Deus!! E se Ele já abençoou, não podemos quebrar essa aliança.

Mas se a outra parte quebrou a aliança com você, então CONTINUE SE MANTENDO FIEL a aliança com Deus: não tenha relações ATÉ você se casar novamente.

Se cada um desses ministros famosos tivesse dado a notícia do tempo em suas vidas em que estavam em abstinência, esperando, aguardando em Deus, e se essas notícias tivessem chegado aos nossos ouvidos há 1, 2, 3 anos atrás (ou mais), então possivelmente muitos de nós estaríamos até alegres com o novo casamento deles… porque?

Porque SABERÍAMOS o preço de cruz que cada um teria ofertado diante de Deus.

E apesar das derrotas dos divórcios passados que sofreram (porque o divórcio é sim uma grande derrota na vida de um crente) saberíamos que esses ministros haviam se ARREPENDIDO e sido TRANSFORMADOS, coisa que traria GRANDE edificação para a Igreja e a nação.

Ninguém é perfeito, mas temos que buscar ser como Jesus.

Romanos 12.1,2:

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que SE ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”
(Bíblia NVI)

Que Deus os abençoe,

Paz,

Pra.Sarah Sheeva

31.12.2012

Deus me obriga a escolher o melhor pra mim?

Quando falamos da vida sentimental, de casamento, de escolhas… esse assunto mexe com muita gente…

Tem gente que fica “afetadíssimo” por causa das coisas que escrevo…
porque?
Porque ainda não se livrou do “humanismo-gospel” que atinge a muitos…
Eu mesma já fui uma crente-humanista, e não foi fácil enxergar isso.
Graças a Deus, Jesus me libertou do “espírito de burrice”, e hoje eu reconheço que: não sou, não sei, e não faço nada sem Jesus!

O assunto que mexe com muita gente é justamente a pergunta que um irmão fez ontem aqui na internet (no Facebook do Culto das Princesas: http://www.facebook.com/pages/Culto-das-Princesas/142177295899066).
Ele perguntou:
“Deus escolhe a pessoa certa para nós?”
E eu respondi que sim, que QUANDO NÓS QUEREMOS QUE ELE ESCOLHA, ELE FAZ ISSO, porque Ele é Bom. (Isso não significa que Ele anule o nosso poder de escolha, mas significa que SE O convidarmos para opinar nessa área, Ele opinará. E assim, poderemos receber o melhor de Deus para nós nessa área. E não o que a nossa enganosa carne quiser. Pois a vontade da carne e da alma podem nos enganar. Mas a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável).

Porém algumas pessoas ficaram extremamente incomodadas com essa resposta, sabe porque? Porque assim como eu fui um dia (independente de Deus) essas pessoas ainda são. São pessoas que ainda não querem a opinião de Deus, pois querem DECIDIR suas vidas SOZINHAS.

Por isso quero me dedicar um pouco mais a ensinar algo que aprendi com o Espírito Santo:

Se nós pedirmos uma direção a Deus nessa área (sentimental), Ele nunca negará uma opinião. Nunca.
O problema é que, talvez o maior desafio da vida Cristã seja justamente discernir a voz de Deus da voz da nossa alma (carne) e também da voz (das setas) do maligno. (Para quem ainda não sabe, são 3 vozes que podem falar conosco… mas agora não falarei sobre isso).
Então, continuando a falar sobre o desafio de ouvir e discernir a voz de Deus nessa área:
Existem algumas coisas que você pode fazer para “treinar” esse discernimento: orar em línguas é uma delas, mas principalmente conhecer o caráter de Deus, descobrir como Deus pensa acerca dos relacionamentos (ler a Palavra de Deus para conhecer o caráter de dEle), porque?
Porque quando o Espírito de Deus fala conosco, Ele NUNCA contraria a Palavra dEle, Ele nunca se contradiz.

Assim, QUANDO PEDIMOS a direção e a opinião de Deus, temos que estar preparados para ouvir, porque muitas vezes não ouviremos aquilo que “queremos”, aquilo que agrada a nossa alma, que é confortável para nós… porque?
Porque se a nossa escolha não for a melhor para nós, Deus falará, mesmo que isso nos faça sofrer, Deus falará, porque Deus não mente. Ele sempre nos dirá a verdade. E as vezes, a verdade é dura de se ouvir…

As vezes a VERDADE é justamente o que NÃO queremos ouvir, nem saber… e por isso estamos “fugindo” daquela verdade.
É nesse ponto que a carne entra e milita contra o Espírito. A carne começa a lutar para não discernirmos o que Deus ESTÁ FALANDO. E se você não se esforçar, a carne ganha mesmo. Foi por isso que Jesus disse o seguinte:

“Esforcem-se para entrar pela porta estreita, porque eu lhes digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão.” (Lucas 13:24, NVI)

Jesus estava falando de um esforço que cabe a nós, e não a Ele. Tudo o que Ele tinha que fazer por nós, já está feito. Agora cabe a nós lutarmos contra a nossa carne = as vontades contrárias a vontade de Deus. Agora cabe a nós aprendermos a O ouvir, a crer no que Ele nos diz, e O obedecer.

Deus nunca negará uma direção a nós, porém muitas vezes somos nós que não queremos a opinião dEle.
Todos os dias eu vejo gente assim, é impressionante, pessoas que se dizem “crentes” fazem isso… negam a opinião de Deus em suas decisões, negam as direções (e ESCOLHAS) de Deus.
É como eu falei no Post anterior: Deus não nos obriga a ouví-lO, Ele não nos obriga a escolher nada. A escolha é nossa!
E por causa disso eu aprendi a fazer a melhor escolha: pedir a Ele que sempre escolha pra mim!
Porque?
Porque a vontade dEle é muito melhor que a minha! (Romanos 12.2)

Se você pedir a Deus que escolha a pessoa certa para você, que mostre quem combina mais contigo, quem é melhor para você (para que você possa decidir) então Ele fará isso! Ele é Fiel!
Mas APRENDA a discernir a voz de dEle! Aprenda a discernir coisas simples, como os princípios dEle, porque Ele nunca fala contra Seus princípios.

Aqui no Face do Culto das Princesas eu tenho ensinado e falado bastante sobre esses Princípios de Deus nos relacionamentos. Sobre a maneira como Deus pensa, sobre as coisas que Deus faz, e as coisas que Ele não faz (como escolher o mal pra nós). Digo isso porque tem pessoas que literalmente me perguntam isso: “Pastora, Deus quer o mal para mim?”
É óbvio que não! Isso não faz parte do caráter dEle!

Quando você busca um relacionamento, pode ter certeza que a vontade de Deus para essa área da tua vida é a MELHOR.
Ele quer te dar alguém… mas não qualquer pessoa, não.
Ele quer te dar alguém que se “encaixe” com você. Alguém que combine com você. Alguém que te ame, alguém fiel como Ele, e que em tudo seja recíproco! Deus quer te dar uma linda história de amor! Ele é romântico! Veja o livro de Cantares, e você verá como Deus valoriza o romance no casamento.
A vontade de Deus é boa, AGRADÁVEL e PERFEITA para nós. (Romanos 12.2)

Ele nos diz:
“…agindo Eu, quem o impedirá?” (Isaías 43.13)

Quem poderá impedir o cumprimento dos planos de Deus nessa área da tua vida? Quem?
Quem há semelhante a Ele? (Sl 86.8)
A quem Ele pode ser comparado?
O Deus que TUDO fez! Tudo é dEle! (Sl 24.1)

Se Deus agir, ninguém pode impedir!
A única pessoa que pode impedir é você mesmo! Por isso não permita que a tua carne atrapalhe você, mas obedeça Aquele que tem o melhor para você!
Creia e receba!
No tempo de Deus!
E da maneira de Deus!

Paz,
Pra. Sarah Sheeva

O Ser Humano e suas Vontades Descontroladas

O ser humano e suas vontades descontroladas

Outro dia eu estava lendo as notícias na internet e me deparei com algumas notícias horríveis sobre pedofilia, abuso sexual de crianças e de adolescentes. Eu estava analisando tudo isso, pensando em como o mundo/sistema em que vivemos está perdido, e em como o ser humano está cada vez mais alienado de Deus e da Verdade.
É impressionante como as pessoas estão cada vez mais mergulhadas no sistema, cada vez menos interessadas no (verdadeiro) Reino dos Céus, cada vez menos interessadas nas coisas eternas que “a traça e a ferrugem” não corroem, e que “ladrões” não conseguem roubar. (Mt 6:19,20) Casos como o da francesa Lygia Gouardo, ou das austríacas Natascha Kampusch e Elizabeth Fritzl, ainda nos horrorizam. Mas são tantas outras histórias… Madeleine McCann foi apenas uma entre milhões de crianças que desaparecem diariamente, sem jamais serem encontradas. Casos horripilantes vem a minha memória enquanto escrevo, como o dos pedófilos-assassinos belgas Michel Fourniret e Marc Dutroux. Me lembro quando, há alguns anos atrás, tive o conhecimento desses crimes (principalmente do caso Dutroux), chorei por uns 3 dias, fiquei sem dormir, orei e clamei a Deus não só por aquelas crianças, mas para que Ele me ajudasse a viver e a cumprir o chamado nessa terra, para que Ele me ajudasse a fazer a diferença num mundo tão caído e tão corrompido como este.
As vezes, ao ler coisas horríveis como os casos citados, parece que será impossível cumprirmos qualquer missão nessa terra.
Hoje, estava lendo os casos recentes que aconteceram em Luziânia-GO, que também denunciam esse tipo de horror em nosso país. http://www.sinpolgo.org.br/v2/index.php?option=com_content&task=view&id=231&Itemid=28

Sem dúvida, esses crimes revelam a ação de mentes psicopatas, mas além disso, todos esses crimes também revelam algo que, cada vez mais, tem chamado a minha atenção:
O mundo(sistema) tem nos “bombardeado” com um ensinamento muito maligno:
O “culto à auto-satisfação” e a “realização-das-nossas-vontades-acima-de-tudo”. Esse tipo de ensinamento nos “bombardeia” em forma de mensagens e valores difundidos pelo sistema.
O “certo” tem sido “divulgado” como o “errado”, e o “errado” tem sido ensinado como “certo”. Esses ensinamentos de valores errados tem destruído a vida de muitas pessoas, e essa destruição tem acontecido ainda na infância.
Ainda que não seja uma regra, sabemos que crianças que sofreram abusos, freqüentemente se tornam abusadores quando adultos. Isso é uma coisa realmente terrível de se imaginar, já que tantas crianças tem sido abusadas. Será que esses se tornarão futuros “abusadores” também?
Em nosso país, as notícias sobre pedofilia e abuso de crianças tem revelado uma triste realidade: A pedofilia e o abuso infantil acontecem com freqüência em milhões de lugares, mas só agora (em virtude de denúncias de casos já existentes, que é reflexo de uma mudança de comportamento da sociedade e da consolidação de ferramentas de combate aos crimes dessa natureza) é que está começando a ser divulgada (a fundo) a realidade desse problema no Brasil.
Porém, sem querer ser pessimista, e sim realista, eu acredito que o que estamos vendo e ouvindo nas mídias é apenas a pontinha desse “iceberg” chamado Pedofilia e abuso infantil.
http://www.soscriancaeadolescente.com.br/index_novo.php?pagina=noticia&id=1111111695

Pensando sobre isso, sobre o que leva um ser humano adulto, aparentemente sadio, a cometer tais crimes contras crianças inocentes, pesquisei um pouco sobre as descobertas de possíveis soluções para o problema global da pedofilia, e percebi que, além da castração química, ainda não foram descobertos tratamentos eficazes contra esse tipo de vontade maligna: o desejo sexual por crianças.
Penso que o grande problema de nossos dias, e possivelmente o nº1 e grande causador de todos os problemas que enfrentamos como sociedade, e grande causador de todos os problemas em todos os nossos relacionamentos é:
A falta de conhecimento e de domínio sobre as nossas vontades.
E em 2º lugar como grande causador dos nossos problemas, acredito que é:
A falta de conhecimento sobre o quanto o mundo (sistema) nos induz e gera em nós VONTADES malignas, através de seus ensinamentos.
Lidar com as vontades não tem sido um assunto discutido como deveria ser por todos, principalmente pelos verdadeiros cristãos (digo “verdadeiros” para que fique bem claro que há – como em todos os setores – bons e maus, verdadeiros e falsos.
E em nosso meio – cristão – não é diferente).
Independente da crença ou religião, o tipo de ser humano que “só faz o que quer” sempre vai ter problemas sérios na vida, seja de qual natureza for, a vida de um indivíduo que “só faz o que quer” passa a ser problemática e muito ruim a partir de algum momento.
Penso que pelo menos no meio cristão, “Lidar com as vontades” deveria ser um assunto mais trabalhado e discutido, já que na Bíblia (que é fonte da verdade teológica para nós cristãos) diz que o mundo (sistema) jaz no maligno (1Jo 5:19), e que o mal personificado (o diabo) é o príncipe deste mundo (sistema). (João 12:31, 14:30).
Perceba, passe a observar como o mundo (sistema) nos induz a um “culto” as nossas vontades, a “idolatria do nosso querer”, a buscar a felicidade através da auto-satisfação, e de “fazer o que se tem VONTADE”.
A cultura de que “ser livre e ser feliz é = fazer o que dá na telha” ainda é amplamente difundida através do humanismo enraizado no sistema. Essa é a principal “mensagem” e mentira do mundo (sistema): “faça o que você quiser, faça o que você tiver vontade, e aí você será livre e feliz, mesmo que para isso você precise passar por cima do direito (e da vida) dos outros”. Mas nós sabemos que essa não é a verdade sobre a felicidade, nem sobre a liberdade. Pois muitos são os que só fazem o que querem, e mesmo assim não são felizes… Muito menos livres.
Eu diria que, a psicopatia de muitos dos criminosos citados anteriormente, é alimentada e “agravada” por esse problema de “fazer o que quer” em busca da “auto-satisfação” que a humanidade vem seguindo e difundindo inconscientemente.
Acredito até que a falta de limites gerada por essa crença/comportamento (de fazer o que quer) gera muitos desses psicopatas, pois é desde cedo que se aprende a lidar com o “não”, com o limite das coisas. É desde cedo que se aprende a respeitar o direito do outro. É desde pequeno que se aprende a dominar os impulsos e vontades erradas, e isso não tem sido ensinado desde cedo como deveria.
A “auto-satisfação-acima-de-tudo” é um grande problema hoje em dia. As pessoas estão se acostumando a confundir prazer, sensação e emoção com felicidade, estão acreditando que prazer e auto-satisfação física (de qual natureza for) vão trazer a felicidade. Mas a felicidade vai muito além de um momento de prazer e satisfação física, vai muito além de uma descarga química no corpo, felicidade vai além de sensações.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2010/10/19/572/

As pessoas (especificamente os cristãos) não tem sido ensinadas a “negar as suas vontades” no dia a dia. Não tem sido ensinadas sobre uma grande verdade:
Que nem tudo que nós temos vontade é bom, ou faz bem. Pelo contrário, as vezes temos vontade pelo pior.  Infelizmente, não vemos essa mensagem se alastrar.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2008/04/10/o-que-e-ser-livre/

Em minha caminhada ministerial tenho visto que muitas pessoas recebem ensinamentos de um “cristianismo humanista”, ensinamentos que nem de longe se parecem com o verdadeiro cristianismo ensinado por Jesus. E isso tem acontecido porque o “humanismo gospel” tem se espalhado pelo povo de Deus em todo o mundo.
No humanismo o ser humano e sua satisfação são o “centro” de tudo. Veja como a cultura do “culto à auto-satisfação” e da “realização-das-vontades-acima-de-tudo” está sutilmente inserida nos princípios ensinados em uma das linhas do Satanismo:
(Fonte Wikipédia):
O satanismo é uma seita centrada em torno de Satã, seja através de uma divindade identificada como Satã, seja através da utilização do termo Satã como arquétipo, representando as forças da natureza, em particular da natureza humana. A primeira definição encontra-se no chamado Satanismo tradicional ou Teísta. Ao contrário, o denominado Satanismo LaVey foca a sua atenção no avanço hedonista do indivíduo, em vez de a focar na submissão a uma divindade ou a um conjunto de códigos morais. Contudo, existem outras formas de satanismo na sociedade contemporânea, diferentemente da formulação de LaVey.
Obs:hedonismo: (grego hedonê, -ês, prazer, alegria, desejo + -ismo) s. m. Doutrina filosófica que faz do prazer o objeto da vida.
(Fonte: http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=hedonismo )

Princípios do satanismo: Em uma das linhas do satanismo cada ser vivo é o seu próprio Deus e governante, cada um é responsável pelos seus atos e o seu modo de ser. Cada um é o seu próprio sacerdote, salvador e Deus. Alguns casos há efetivamente o culto a uma entidade espiritual, que pode ser denominada por satã ou receber outro nome. Em outros casos, o que é rejeitado é a idéia de culto a algo externo à pessoa. O que se busca é a expressão da plena liberdade e responsabilidade da pessoa por si mesma. Outro aspecto é se o movimento utiliza-se de rituais, com caráter religioso próprio, ou se está fundamentado numa atitude filosófica e prática. O predomínio de um ou outro aspecto caracteriza diferentes movimentos satanistas.
(Fonte Wikipédia)

Ou seja, o humanismo (a crença de que o ser humano é o “centro”, a crença de que o mais importante é a realização do ser humano) tem muito em comum com algumas linhas do satanismo, cuja doutrina diz que o prazer (a auto-satisfação) é o principal objetivo da vida humana.
Não posso negar que tenho visto “humanismo gospel” em muitas igrejas pelo Brasil. É claro que não são todos que apresentam esse pensamento e comportamento, mas são muitos mesmo, a maioria. São irmãos e irmãs que, por falha da liderança, aprenderam um “cristianismo errado”. São irmãos que nunca foram confrontados nessa área.
Infelizmente tenho visto essa realidade. Muitos irmãos crentes já estão tão “contaminados” pela “cultura” e pelas VONTADES do mundo (sistema), já estão tão contaminados com a teologia “humanista gospel” do sistema, que nem percebem mais o quão distante dos ensinamentos (e da essência) de Jesus é esse tal pensamento (e conduta) de “fazer o que quer”, ou de “só fazer o que se tem vontade”.
Jesus ensinou outra coisa, completamente diferente disso.
Ele disse que para segui-lo era condicional, era necessário (primeiro) negar-se a si mesmo (negar as próprias vontades), tomar a sua cruz (assumir e obedecer a direção de Deus, ainda que nos seja desagradável), para só então, poder segui-lo (Mateus 16:24).
Veja bem, não confunda isso com salvação em Cristo.
Não estou falando de salvação, que é de graça, que não pode ser comprada por nenhuma das nossas atitudes, e que só acontece quando nós verdadeiramente CREMOS nEle, e O confessamos como nosso Senhor (Dono) e Salvador. Não é disso que estou falando.
Mas estou falando de algo que é condicional enquanto estivermos nesta “dimensão”.
Que “dimensão”? A dimensão da matéria e do tempo (onde ainda precisamos desse corpo físico para andarmos aqui, e onde ainda precisamos desse corpo físico para nos comunicarmos uns com os outros).
Não estou falando de Salvação, estou falando de algo que é “condicional” enquanto ainda não estamos vivendo 100% na dimensão da Eternidade.
O que é “dimensão da Eternidade”?
É o lugar onde as coisas espirituais operam, onde fica o Reino, onde não precisamos desse corpo físico.

Outro dia ouvi de uma pastora amiga minha (PrªEzenete), algo interessante: “Muitos irmãos tem Cristo como seu Salvador, mas não O tem como seu Senhor e Dono…”
Ou seja, muitos querem a “Salvação” mas não querem que Deus “mande” em suas vidas.
Quando Ele é o teu Dono, Ele manda em você. Foi por isso que Jesus disse:
“Quem quiser andar comigo, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me…” (Mt 16:24)
Ou seja, “faça o que eu digo, e não o que você quer!”
Afinal, a vontade dele é boa, perfeita e agradável…
Também foi por isso que Ele disse em Mateus 7.21:
“Vai entrar no reino dos céus (somente) quem faz a vontade do pai (celestial)…” e não quem faz o que quer…
Fazer o que queremos NÃO É BÍBLICO, e não é seguro para as nossas vidas.
Precisamos aprender esse ensinamento rápido, antes que o mundo (sistema) nos cegue, nos tape a visão com as suas ofertas e manjares, pois a felicidade não está ligada a eles (manjares), e sim ao cumprimento da vontade de Deus em nós.
https://sarahsheeva.wordpress.com/2010/03/20/agrada-te-do-senhor-5/

Toda vontade quando não pode ser controlada é um perigo, porque provavelmente ela (vontade descontrolada) já “nasceu” de forma errada. Precisamos praticar o domínio-próprio, aprender a dizer não para a nossa carne (carne=alma+corpo), e aprender a ouvir a voz do Espírito Santo.
Mas como saber se aquilo que estamos “ouvindo” provem de Deus e não de nós?
Resposta: Tudo que vem dEle está alinhado com a Sua Palavra (Bíblia).
A Bíblia está repleta de relatos e histórias onde Deus interage com o ser humano. E em cada ação e reação de Deus, podemos ver como Ele pensa, o que o agrada, e o que o entristece. Assim, podemos então conhecer a Sua vontade.
Foi por isso que Jesus disse:
“…Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” (Mt 22:29)
Jesus também disse em Marcos 12:24 que nossos erros provem de não conhecermos as Escrituras.
Se conhecermos a vontade de Deus, a personalidade de Deus, o caráter de Deus… Então conheceremos a vontade dEle, e poderemos praticá-la.   Isso revelará que nós não somos “humanistas”, mas que somos “teocentristas”!
Isso revelará que Deus é o centro, e que Deus está no centro de tudo em nossas vidas! E por causa disso, nós nunca seremos pessoas que tem vontades descontroladas, pelo contrário, nós seremos pessoas controladas pelo Espírito de Deus, pessoas transformadas, cuja vontade é boa, perfeita e agradável.
“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2)

Que Deus os abençoe,
Paz! Sarah Sheeva

Ouça a Palavra “A Raiz do Humanismo” no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=PrSm0JCsX04&p=F830C64A7989B36E&playnext=1&index=8