A importância de “mergulhar” no Espírito

O Espírito Santo de Deus tem sido meu Professor nesses últimos sete anos… Ele tem me ensinado principalmente através da adoração e da prática da oração em línguas, e assim tenho recebido muito entendimento da parte dEle, o que tem me transformado diariamente…

Uma das coisas que tenho aprendido com Ele é que existem 3 áreas onde precisamos de cura (3 níveis de cura):
– Cura física
– Cura espiritual
– Cura da alma
Das 3, a mais complexa é a cura da alma, sabem porque?
Porque envolve o nosso livre arbítrio.

Jesus disse: “E conhecereis a Verdade, e a verdade vos libertará” (João 8.32)
O que liberta é o conhecimento da verdade, ou seja, o que liberta é o fato da verdade “entrar” dentro de nós, e se tornar conhecida por nós.

A frase que o Espírito Santo me falou nesses dias foi a seguinte:

“Quando você recebe entendimento (conhecimento da verdade sobre algo, inteligência do Espírito/mente de Cristo) as tuas escolhas MUDAM”.

É isso que REVELA quem é liberto, e quem ainda não é: as escolhas.
Porque as escolhas definem o caminho que a pessoa vai seguir, e as escolhas REVELAM quais são as vontades que tem imperado dentro daquela pessoa.
As vontades nos influenciam muito nas escolhas, mas quando temos ENTENDIMENTO (conhecimento da verdade), as nossas vontades não mandam mais em nós, ao invés disso, nós as subjugamos ao governo do Espírito Santo.

Quando recebemos o entendimento do Espírito, quando Deus nos “dilata” o entendimento, quando recebemos a mente de Cristo, quando todo “espírito” de “burrice” sai da nossa mente… então temos opção de escolher novos caminhos, tomarmos novas decisões… e assim novas vontades poderão ser geradas em nós. Entendem isso?

Ser livre, ser liberto(a) tem a ver com as vontades… e as vontades estão ligadas ao entendimento, e o entendimento ligado as escolhas. Uma coisa depende da outra.
Uma pessoa sem entendimento (ignorante, sem conhecimento sobre a vida, e sobre si mesmo/a) costuma fazer péssimas ESCOLHAS, e também costuma ser uma pessoa difícil de se relacionar.

Observe melhor o que Jesus disse em João 8.31-32:

“…Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

De novo, mas agora com minha análise entre parênteses):

“…Se (“Se” é condicional, livre arbítrio, escolha pessoal) vós (Se vocês) permanecerdes na minha palavra (acreditarem nas minhas palavras, guardarem ela, e não duvidarem…), verdadeiramente sereis meus discípulos (aí sim vocês serão meus seguidores de verdade); E conhecereis a verdade (e ENTÃO vocês conhecerão a verdade), e a verdade vos libertará (e assim, por causa do conhecimento da verdade, a verdade libertará vocês. Ela fará de vocês homens e mulheres LIVRES).”

A maior verdade que o Espírito me ensinou a observar nas palavras de Jesus Cristo foi o quanto Ele nos ama.
Você precisa entender isso. Precisa acreditar nisso.
Porque?
Porque é A VERDADE.
O conhecimento dessa verdade vai te libertar poderosamente de tudo que tem te afastado do Senhor.

As mentiras vem para te afastar desse amor.
Acredite mais em Jesus. A única coisa que Jesus não é capaz de fazer é mentir. (Foi por isso que muitas vezes Ele se calou, porque Ele era incapaz de mentir).
O que Ele disse está escrito e é verdade.
Não foi um homem qualquer quem disse, foi Ele quem disse: “SE PERMANECERDES na minha palavra…”
Então você conhecerá a verdade, e ela te libertará!
Permanecer significa ACREDITAR nEle.
Permaneça!
Permanecer é a mesma coisa que “estar em Cristo”…

2 Coríntios 5.14-17:
“(14) Porque O AMOR DE CRISTO nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram.
(15) E ele morreu por todos, para que os que vivem NÃO VIVAM MAIS PARA SI, MAS PARA AQUELE que por eles morreu e ressuscitou.
(16) Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo.
(17) Assim que, SE ALGUÉM ESTÁ EM CRISTO, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que TUDO se fez novo.”

A cura da alma (mente, emoções, pensamentos, vontades) DEPENDE disso gente.
Quando a cura é nessa área (alma), não adianta passar anos orando sem entendimento, porque o que liberta a alma (o que liberta a mente) é o CONHECIMENTO DA VERDADE.
É por isso que muitas vezes vemos crentes (muitos com mais de 20 anos de igreja) apresentando problemas básicos, coisas que já era para eles terem vencido, mas que estão ligadas as vontades erradas, escolhas erradas, ou seja, falta de cura NA ALMA.

O Espírito Santo é o nosso ajudador nesse processo.
“Eis que Deus é o meu ajudador, o Senhor está com aqueles que sustêm a minha alma.” (Salmos 54:4)
Vamos mergulhar no Espírito!
Paz!
Sarah Sheeva

03.12.2012

O que tem tocado aí dentro deste templo?

Alguns assuntos são muito delicados para se comentar, principalmente quando envolvem pessoas que amamos.
Aproveitando algumas notícias da mídia, e já respondendo as perguntas que estão me enviando a respeito, existe algo que vocês podem ter certeza sobre mim:

Eu JAMAIS voltarei a cantar músicas que não sejam de adoração a Deus.
É uma decisão, não apenas profissional, mas espiritual e ministerial.

Acredito no seguinte: podemos ter “amigos” no mundo, podemos andar no mundo, fazer a diferença, sermos a luz do mundo, etc… mas o mundo não pode andar DENTRO de nós.
Ou seja: Não podemos amar as coisas do mundo, os prazeres do mundo. Precisamos amar as PESSOAS do mundo.
Amar, nesse caso, significa sermos usados como instrumento de salvação para os perdidos.

Acredito que a música é algo ESPIRITUAL, é energia pura, algo sobrenatural. Acredito (e também tenho respaldo bíblico) que a música tem o poder de entrar dentro de nós e ministrar a nossa alma e o nosso espírito humano.
(Lembra de como Davi expulsou o espírito imundo de Saul ao ministrar louvor? 1 Samuel 16.23)

Nós somos o TEMPLO do Espírito Santo.
Então pergunte a você mesmo:
O que tem TOCADO aí dentro deste templo?
Dentro de mim só tocam os louvores de adoração ao nosso Deus! Nenhuma música profana ou de simples entretenimento toca dentro de mim.
Porque?
Porque EU SEI que DEUS NÃO CRIOU A MÚSICA PARA DAR PRAZER AO SER HUMANO (essa frase é do Pr.Cirilo), mas Deus criou a música para a adoração a Ele.

Acreditar nisso seria isso um tipo de “religiosidade”?
Não. Como eu sei que não?
Por causa da experiência prática da mudança nas minhas vontades.
Houveram muitos anos (após a minha conversão) que eu continuava com a prática de ouvir e cantar músicas que não eram de adoração a Deus, e enquanto eu não abandonei essa prática, muitas vontades malignas não me abandonavam, e muitas áreas da minha vida continuavam aprisionadas.
Posso testemunhar, e sei que muitos outros Cristãos podem testemunhar que, após deixarem a prática de ouvir músicas profanas, houve mudança em suas vontades, e em muitas áreas de suas vidas.

Precisamos ser um tipo de crente que, se Deus mandar deixarmos algo, deixamos NA HORA!

Precisamos ser um tipo de crente que “põe a mão no arado e não olha mais para trás…”

Porque quem põe a mão no arado e olha para trás (sente saudades do mundo) não é digno de Jesus.

Não foi fácil para mim, não foi fácil deixar certas músicas… Mas eu amo Jesus MAIS.
Eu amo Jesus MAIS do que qualquer prazer deste mundo.

Eu nasci na música do mundo. O preço de renúncia que eu paguei para poder servir ao Senhor foi alto. Por Jesus eu abandonei toda uma carreira. Eu não teria abandonado se Ele não tivesse pedido, e se deixar de obedecer não fosse algo que realmente pudesse comprometer minha caminhada em direção a eternidade.
Mesmo assim, sei que o preço que paguei não se compara com o preço que Ele pagou pela minha vida.
Por isso eu deixei tudo por Ele.
E deixaria de novo.

Lucas 9:62

“E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.”

Traduzindo:

“Ninguém que começa a fazer a obra de Deus e fica com saudades do mundo, está capacitado para receber o reino de Deus.”

Por isso, quando alguém questiona (ou duvida que valha a pena) o nosso esforço em renunciar as coisas do mundo para seguir a Jesus, eu digo:

“Me mostre as tuas convicções, a tua teologia (ou até o teu ateísmo), que eu te mostro a mudança nas minhas vontades.”

Ser livre não é fazer o que quer, ser livre é conseguir querer o que Deus quer.
Ser livre é obedecer a Deus, e não ao diabo.

Paz,
Pra.Sarah Sheeva

28.10.12

O crente, e os dois governos que podem operar sobre ele

Existem 2 tipos de crentes: o crente que anda (vive) na alma, governado pela alma (e consequentemente na carne), e o crente que anda no Espírito (que vive sob o governo do Espírito).

Na Bíblia, muitas vezes podemos ver a palavra “coração” representando a nossa “alma”, como em Jeremias 17.9:

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”

(em outra tradução, o significado está ainda mais claro):

“ENGANOSO é o coração, mais do que todas as coisas, e DESESPERADAMENTE CORRUPTO; quem o conhecerá?”  (Jr 17.9 – RA)

Observe o contexto dessa passagem do versículo 5 até o 10, com algumas explicações entre parênteses:

Jeremias 17.5-10:

(17.5) Assim diz o SENHOR: Maldito (amaldiçoado é) o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR! (amaldiçoado é o homem que confia mais em si do que no Senhor, que confia mais na força do próprio braço do que em Deus, e que afasta sua alma – suas vontades – de Deus)

(17.6) Porque (esse homem) será como o arbusto solitário no deserto e não verá quando vier o bem; antes (ao invés disso), morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável.

(17.7) Bendito (abençoado) o homem que confia no SENHOR e cuja esperança é o SENHOR.

(17.8) Porque ele (esse homem) é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro (significa que essa árvore tem suas raízes – por debaixo da terra – voltadas em direção ao rio, e por isso essa árvore está sempre “bebendo água” sem ninguém ver, porque é debaixo da terra que ela está recebendo a humidade, ou seja, no secreto) e (esse homem, que é como essa árvore) não receia (não tem medo) quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão (no ano de seca), não se perturba (não se preocupa), nem deixa de dar fruto. (mesmo com a seca, que representa as circunstâncias difíceis, esse homem não deixa de prosperar em todas as áreas de sua vida, porque sua fonte de “água” está garantida, sua fonte não é visível, mas é real, e isso o sustenta mesmo no tempo da seca).

(17.9) Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? (enganosas são as vontades e os pensamentos do homem, eles são traiçoeiros, quem os verá e revelará?)

(17.10) Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração (sondo, vejo e analiso a alma e as vontades de cada um), eu provo (testo) os pensamentos; e isto (faço) para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações. (segundo o que cada um fizer, semear, ação e reação, a lei da semeadura).

Coração e alma são a mesma coisa, e, o que a Bíblia nos mostra é que a nossa alma não é confiável, ela é enganosa.

Seria “um pouco” enganosa? Não. A Bíblia nos mostra que a nossa alma é enganosa MAIS do que TODAS AS COISAS. Isso significa que a nossa alma é extremamente TRAIÇOEIRA, e por isso Deus diz “maldito o homem que confiar nela” (vers. 5).

É da nossa alma que fluem as nossas vontades, ou seja, as vontades “nascem” na alma. Então, quando Deus falou “enganosa é a alma…” consequentemente Deus estava nos dizendo: “enganosas são as vontades de vocês, elas são traiçoeiras! Não confiem nelas!”

Mas hoje (graças a Deus) sabemos que não somos mais obrigados a andar (viver) na alma (sob o governo dela), porque recebemos a oportunidade de andar no Espírito, com a ajuda dEle, através do batismo nEle, através dos dons dEle, da armadura espiritual que Ele nos fornece (Efésios 6.13).

Como saber se estamos andando (vivendo) no Espírito?

Como saber se o governo que está agindo sobre nós é o da nossa alma ou o do Espírito Santo?

Quando você anda no Espírito, você NÃO faz o que você quer (o que a tua vontade física, vontade instintiva, vontade emocional quer), apesar de “querer”, de sentir “vontades”, (quando você anda no Espírito) você não se deixa governar por elas, mas opera em você uma decisão de submeter as tuas vontades a Deus, opera em você um domínio próprio, e uma vontade MAIOR de crucificar a tua vontade (do que de realizá-la), opera em você uma decisão e uma vontade MAIOR de fazer a vontade de Deus. Porque? Simplesmente porque você sabe que a tua vontade não é confiável.

Quando você anda no Espírito você obedece a vontade de Deus.

Uma pessoa que só faz o que quer, NÃO ANDA SOB O GOVERNO DO ESPÍRITO, mas sob o governo da alma e da carne.

A vontade de Deus não é como a nossa (enganosa, perversa e corrupta – Jr 17.9), a vontade de Deus é PERFEITA, boa, e agradável para nós (Rm 12.2), por isso não devemos confiar em nossa vontade, mas devemos confiar somente na vontade de Deus, que sempre será MELHOR que a nossa.

Qual é o “segredo” para andarmos sempre no Espírito?

A maneira como eu fortaleço meu espírito (e enfraqueço as minhas vontades carnais) é através da prática da oração em línguas (e também do jejum), mas observe, não estou falando da oração em línguas na forma de interpretação (1 Cor.14.5), nem da oração em línguas na forma de “idiomas variados” (como descrita em Atos 2.6-8), estou falando de outra forma de oração em línguas (porque existem 4 formas diferentes de oração em línguas), estou falando da forma que está descrita em 1 Coríntios 14.4: a oração em línguas para a nossa edificação pessoal. Essa forma de oração em línguas é a que eu utilizo para fortalecer o meu espírito, ela é totalmente bíblica.

O próprio Apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 14.18 o seguinte:

 “Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.”

Ou seja, o Ap. Paulo orava muito em línguas! Porque? Porque ele sabia que essa era uma forma muito eficaz de fortalecimento espiritual.

Vamos ler o que o Ap. Paulo diz do verso 1 ao 4:

1 Coríntios 14. 1- 4 (com algumas explicações entre parênteses)

(14.1) Segui o amor e procurai, com zelo (com cuidado, com atenção), os dons espirituais (busque os dons espirituais), mas principalmente (busque) que profetizeis. (Esse dom é destacado pelo Apóstolo Paulo por ser um dos dons que mais edificam e fortalecem a toda a igreja).

(14.2) Pois quem fala em outra língua não fala a homens (não está falando pros homens entenderem, é um “idioma” incompreensível aos homens), senão a Deus (fala com Deus, é um “idioma” que só Deus entende), visto que ninguém o entende (ninguém entende nada que estamos falando quando estamos orando em línguas, pq? Porque na verdade, ela não é uma oração para a alma humana entender – a não ser que o Espírito dê a interpretação), e em espírito (a pessoa que está orando) fala mistérios. (a oração em línguas é uma oração EM ESPÍRITO – não “em ALMA” – onde a pessoa fala MISTÉRIOS. Aqui, mistérios, são as coisas ORADAS em espírito, coisas que ainda não nos foram reveladas, que não sabemos, coisas que o Espírito está intercedendo por nós, mas que não estão sendo reveladas a nossa alma/mente naquele momento, por isso essa oração é um mistério para nós).

(14.3) Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando. (mas quem profetiza fala em um idioma que todos entendem, idiomas que a nossa alma entende, como Português, Inglês, Espanhol, etc… trazendo edificação, encorajamento e consolo para toda a igreja, e não apenas para uma pessoa)

(14.4) O QUE FALA EM OUTRA LÍNGUA A SI MESMO SE EDIFICA, mas o que profetiza edifica a igreja. (edificar = construir = fundar = quem fala em outra língua a si mesmo “constrói”, firma, fortalece… mas quem profetiza, firma, constrói, fortalece a igreja toda, E NÃO APENAS A SI MESMO).

Perceba que nesta passagem (e nesse capítulo) o Ap. Paulo está falando da importância de falar (DENTRO DA IGREJA – no microfone, no púlpito) em um idioma que TODOS ENTENDAM, que edifique a todos, e não apenas em línguas. Nesse capítulo ele fala várias vezes que não adianta ficarmos orando em línguas pros outros (não é esse o propósito da oração em línguas) mas que (no caso do idioma do Brasil) quando nos dirigimos aos outros publicamente, devemos falar em PORTUGUÊS, pois assim todos nos entenderão, e serão edificados.

Porém, Paulo deixa “escapar” (no verso 4) o propósito da oração em línguas, para quê ela serve: para nossa edificação pessoal!

E no verso 18, ele DECLARA que era um grande praticante desse dom de edificação!

Não é maravilhoso isso?

A oração em línguas nos fortalece a ponto de fazer a nossa alma se submeter ao Espírito de Deus. A nossa alma (mente) não está capacitada para governar a nossa vida, ela está capacitada apenas para expressar sentimentos, emoções e vontades.

O nosso espírito humano foi criado para receber o Espírito Santo, e assim (através do batismo no Espírito Santo) Ele (o Espírito Santo) poder nos governar, governar SOBRE a nossa alma, sobre nossos pensamentos, sobre as nossas vontades.

E assim, quando o Espírito nos governa, na prática, no dia a dia, Ele nos ensinará TODAS as coisas:

João 14.26: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”

Isso significa que, apesar das nossas vontades serem traiçoeiras, dos nossos pensamentos serem enganosos (Jr 17.9), e por causa disso não sabermos fazer as escolhas certas ou dirigir corretamente as nossas vidas, ELE (o Espírito Santo) nos GUIARÁ PELO CAMINHO DA VERDADE:

João 16.13:  “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.”

É por isso que você precisa receber o batismo do Espírito Santo, e começar a praticar a oração em línguas para a tua edificação pessoal. Sem a prática desse dom a armadura espiritual descrita por Paulo em Efésios 6 não está completa, ele diz assim:

Efésios 6.13-18: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; ORANDO EM TODO O TEMPO com toda a oração e súplica NO ESPÍRITO, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos…”

Orar NO ESPÍRITO não é orar com a mente, em pensamento, porque orar com a mente é orar com a ALMA. Orar NO Espírito é quando o próprio Espírito Santo ora (intercede) por nós, essa é a ÚNICA forma de orar NO ESPÍRITO = em línguas. Todas as outras formas de oração são com a alma (mente), por isso Paulo disse aos Romanos:

Romanos 8.26-27:

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém (porque oramos segundo a nossa vontade = alma), mas o mesmo Espírito (Santo) intercede (ora) por nós sobremaneira (acima da nossa maneira), com gemidos inexprimíveis.”

“E aquele que sonda os corações (Aquele – Ele – que vê a nossa alma/mente) sabe qual é a mente do Espírito (Ele sabe o que Ele mesmo pensa e planejou para cada um de nós), porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede (ora) pelos santos. (por nós)

Por isso, trazendo para a prática: ore em línguas, ore diariamente, ore enquanto você faz suas atividades em casa, ou enquanto estiver dirigindo, indo ao trabalho, andando de ônibus, caminhando pelas ruas… para isso, você não precisa orar em voz alta, chamar a atenção das pessoas ao redor, não, esse não é o propósito (lembra?), ore baixinho mesmo, pois essa oração é entre você e o Espírito de Deus! Para tua edificação pessoal!

Você pode escolher, pode decidir se entregar a Ele, ao governo dEle por quanto tempo você quiser (orando em línguas), e assim tua alma não conseguirá ser mais forte que o teu espírito! Ela terá que se sujeitar ao governo do Espírito!

Por quanto tempo você deseja que o Espirito Santo interceda por você?

O tempo todo?

Então ore em línguas em todo tempo (Ef 6.18), porque assim em todo tempo Ele estará intercedendo por você!

Esse é o meu “segredo”.

Que Deus te abençoe,

Pra. Sarah Sheeva

Revelação sobre Confiança para o final de 2009

 

Você confia em Deus?

 

Na primeira semana deste mês (Dezembro/2009) eu estava num supermercado perto de casa, e depois de fazer as compras fui para a fila.
Na espera (que durou uns 40 minutos) eu observava as pessoas e coisas ao meu redor.
Num dos caixas que estavam desativados, uma mulher esperava alguém. Junto a ela havia uma criança, era um menino, e ele parecia ter uns dois anos de idade.
Ela o colocou sobre a bancada do caixa desativado, que para o tamanho do garotinho, parecia uma pequena plataforma. Imediatamente o garoto ficou de pé na bancada e começou a andar em direção a esteira e a um vão (onde ficava a cadeira da moça do caixa). Imaginei que se ele continuasse andando seria um tombo e tanto, com direito a pontos e tudo, mas ao vê-lo andar empolgado em direção ao vão, a mãe do menino o segurou, interrompendo sua pequena “jornada exploradora” pela esteira do caixa do supermercado.
É incrível como os meus olhos sempre estão atentos as crianças. Não pude evitar… e vi quando o menino ficou muito irritado com a “interrupção” da mãe. Ele começou a chorar alto e espernear de uma forma a envergonhá-la, e chamar a atenção de quem estivesse passando.
A mãe, que parecia já estar acostumada com isso, nem ligou, e continuou segurando-o para que ele não fizesse mais nenhuma “exploração” arriscada no local.

Naquele instante Deus falou comigo, Ele me disse:

– É assim que sempre acontece Sarah.
Vocês acham que sabem o que é melhor para vocês, mas não sabem. 
Ah! Se vocês soubessem o que Eu sei…
Ah! Se vocês vissem o que Eu vejo…
Assim como esse menininho muitos agem sem saber o perigo que estão correndo, e assim como essa mãe, Eu ajo livrando a muitos dos meus filhos.
Mas assim como o garotinho, muitos esperneiam e choram quando Eu não dou, ou não aprovo o que eles querem.
Mal sabe ele (o menino) o que pode lhe acontecer se prosseguir nesse caminho… aquela mãe sabe de coisas que ele ainda não sabe, ela conhece coisas e caminhos que o pequeno menino ainda não conhece…
Mas um dia ele irá crescer, e entenderá coisas que quando criança ele não entendia, aí ele entenderá e até agradecerá a ela por tê-lo segurado naquela hora, para que ele não caísse, não se machucasse, e não morresse. 
Assim como esse menino são vocês.
Um dia vocês vão “crescer”, e vão compreender lá na frente, na hora certa, coisas que agora não conseguem compreender.
Muitas coisas que hoje vocês não entendem, um dia vão entender, então elas farão sentido, ficará claro porque foi necessário que as coisas fossem assim, acontecessem como aconteceram.
Eu cuido de todos os que são meus… e suas vidas e caminhos estão no controle das minhas mãos. Se você me serve, me pertence (e eu disse: eu pertenço Senhor!) então deve saber disso, deve confiar em mim e na minha Palavra que diz:

 

Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e tudo mais Ele fará (Salmos 37. 3-11)

Eu farei o que for necessário. Todas as coisas estão sujeitas a Mim.

Eu Sou Deus todo poderoso, agindo Eu, quem impedirá?(Isaias 43.13)

Mas há algo mais que vocês precisam saber… há coisas que vocês nunca serão “adultos” o suficiente (espiritualmente falando) para entender.
O que quero dizer é que, há coisas que só aqui na Glória vocês entenderão… só aqui, na dimensão da eternidade, é que vocês compreenderão certas coisas.
É por isso que há mistérios que não serão totalmente revelados a vocês, porque vocês não tem “condições” de compreender. São coisas que vão além da compreensão de vocês, coisas que poderiam prejudicá-los, a ponto de vocês não quererem mais viver.
E essa não é a minha vontade.
Ainda é necessário que vocês vivam nessa dimensão (do tempo) por um tempo, até que se cumpram todas as coisas que determinei. Além disso, lembre-se que a morte é nossa inimiga, e ela age nessa dimensão em que vocês estão.

O que Eu quero é que vocês “odeiem” o sistema que rege essa vida, que vocês não sejam levados, liderados, influenciados por ele. Que vocês olhem para mim, e vivam comigo desde já, desfrutem da minha presença desde já.
E que possamos nos relacionar e nos conhecer desde já…
Para quando chegar o grande dia, o dia em que cada um dos meus estiver face a face comigo, Eu possa dizer-lhes:
Muito bem servo bom e fiel… (Mateus 25.21)
Para que Eu não precise dizer-lhes:
Nunca vos conheci… Apartai-vos de mim…(Mateus 7.23)
Mas para que Eu diga: Enxugarei dos seus olhos todas as lágrimas… bem vindo Vencedor, bem vindo meu herdeiro (minha herdeira) e meu filho(a)… (Ap. 21.1-7)
E que possamos estar juntos eternamente na dimensão da eternidade.

Quando o Senhor terminou de me dizer estas coisas, eu fiquei maravilhada… Compreendi muitas coisas que aconteceram neste ano, e muitas que não aconteceram…

A Palavra dEle não mente, ela é a Verdade.

Veja o que ela diz: 

Apocalipse 21. 3 – 7

3. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.
4. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.
5. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.
6. Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida.
7. O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho.

Isaías 43

1. Mas agora, assim diz o SENHOR, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu.
2. Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.
3. Porque eu sou o SENHOR, teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por teu resgate e a Etiópia e Sebá, por ti.
4. Visto que foste precioso aos meus olhos, digno de honra, e eu te amei, darei homens por ti e os povos, pela tua vida.
5. Não temas, pois, porque sou contigo; trarei a tua descendência desde o Oriente e a ajuntarei desde o Ocidente.
6. Direi ao Norte: entrega! E ao Sul: não retenhas! Trazei meus filhos de longe e minhas filhas, das extremidades da terra ,
7. a todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória, e que formei, e fiz
13. Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?

Se você pertence ao Senhor Jesus, então confie Nele!

Quero deixar aqui um vídeo da música do Jason Upton (que achei no Youtube). É um cântico espontâneo onde foi captada a voz de um anjo cantando com ele.
Observe que durante a música (bem no meio do cântico) Deus começa a falar pela boca do Jason, é tremendo!
Pela boca do Jason, o Senhor diz assim (para cada um de nós):
Você vê o que Eu vejo?
Você ouve o que Eu ouço?
Você sabe o que Eu sei?
Você quer o que Eu quero?
(Então)Voe…
A interpretação desse cântico (que o senhor meu deu) foi a seguinte, Ele está perguntando a nós:

 

Vocês sabem o que Eu sei?
Não.
Vocês ouvem o que Eu ouço?
Não.
Vocês vêem o que Eu vejo?
Não.
Vocês estão onde Eu estou?
Não.
Vocês querem exatamente o mesmo que Eu quero?
… Será que querem?
Vocês sabem o que Eu quero?
(E os Servos obedientes responderão: Sim Senhor! Queremos fazer a tua vontade!)
E o Senhor responde:
Então voem em minha presença (me adorem!)
Apenas me adorem…(Fly…)
Se entreguem em minha presença (Fly…),
É disso que vocês precisam…

Que Deus abençoe a cada um de vocês neste final de ano,
E que vocês continuem firmes no caminho estreito que conduz a Salvação…
Queremos ver Jesus!

 

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor… (Hebreus 12.14)

O que custou mais caro para Jesus?

 

O que custou mais caro para Jesus?

 

 

“…O que mais custou pro céu foi o seu direito de tomar decisões” .

(Dave Roberson, 22/01/09)

 

 

 

Estávamos na conferência do Dave Roberson, em SP, quando ele falou esta frase…

“…O que mais custou pro céu foi o seu direito de tomar decisões” .

Na mesma hora, Deus me disse “porquê” isso foi o “mais caro” para Ele (Jesus):

Porque se Ele não tivesse negado a Sua própria vontade, e crucificado ela (literalmente), hoje nós não teríamos opção, hoje nós seríamos escravos das nossas vontades.

Jesus lutou, pagou um alto preço na cruz (e venceu) para que você e eu possamos ser livres para escolher Ele, livres nas nossas vontades (dentro das nossas vontades) para escolher Ele.

 

Para quem não entende nada de “cruz”, preste atenção:

Na cruz Jesus trocou de vida com cada um de nós, por isso hoje,

cada um que crer nEle, e que o receber como Senhor (Dono) da sua vida, “troca de vida” com Ele no mundo espiritual.

A cruz funcionou assim no mundo espiritual, ela funcionou como uma espécie de esponja espiritual, que absorveu todos os pecados, todos os erros de todas as pessoas que já existiam (que queriam que Jesus fosse Senhor de suas vidas), e todos os erros daqueles que um dia iriam nascer, e querer Jesus também.

Ele morreu por pessoas que já existiam, e por pessoas que ainda nem tinham nascido…

O escrito de dívida que havia sobre nós, sobre toda a humanidade,

Ele pagou com a própria vida, morrendo em nosso lugar… trocando de vida conosco… e em troca da nossa morte, Ele nos deu a vida eterna que era só dEle, e tudo o mais que Ele tinha em si (Ele só tinha coisas boas).

 

O que custou mais caro para Ele foi o momento em que Ele teve de sentir as nossas vontades (podres) sobre as vontades dEle, e negar a cada uma delas.

E quando Ele teve de sentir isso, vieram sobre Ele não apenas todas as vontades mais imundas da humanidade, mas também todas as maldições, doenças, e desgraças existentes sobre a face da terra… por causa disso, automaticamente Ele foi separado de Deus.:

No momento em que Ele se separou completamente de Deus, no momento em que Ele ficou totalmente desamparado, Ele disse: “Pai, Porque me abandonaste?…”

 

 “E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo:

Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é:

Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Marcos 15.34)

 

Foi nesse momento que Ele experimentou todas as nossas vontades corrompidas… Ele experimentou o que era uma vida governada pela alma, pelas vontades corrompidas da alma…

 

No jardim do Getsêmani Jesus orou fervorosamente (Lucas 22.44), e suou sangue devido ao stress e ao pavor, daquilo que Ele teria de enfrentar…

Mas do que Ele tinha medo?

Não era da dor física… não era da humilhação… o medo dEle era de ficar, por alguns segundos, separado do Pai Celestial, algo que Ele, sendo o filho de Deus, nunca tinha experimentado.

Esse era o “cálice” a que Ele se referia quando orou… De todos os “cálices” que Ele teria de “beber” durante o seu sacrifício, esse era o único que Ele não queria enfrentar…

 

Jesus sabia que esse seria o momento mais difícil de todo o sacrifício… Ele sabia que teria de vencer as próprias vontades, que eram de não se separar de Deus, e que teria de “trocar” de vontades conosco.

 

 

Mas Ele foi mais forte que cada uma daquelas vontades!

Ele conseguiu vencer a cada uma delas!

E depois de morrer por nós, levando em si a morte (que era para nós) e todas as demais desgraças… no terceiro dia Ele ressussitou!

Ele foi mais forte até que a morte! Ele venceu! Aleluia!

 

Quando o Espírito Santo governa sobre nós continuamente, e nos leva a um novo nível de santificação, a nossa alma começa a nos servir, porque ela começa a ser totalmente influenciada pelo Espírito, totalmente governada pelas vontades dEle, e ela literalmente começa a querer o que Ele quer! Ela passa a querer o que Ele quer!

O que mais custou caro para o céu, para Deus, para Jesus,

foi a restauração do nosso livre-arbítrio,

 

foi o nosso direito de tomar decisões.

 

Decida por Ele.

Ele merece.

 

Por Sarah Sheeva

22/01/09

 

Porque os pássaros cantam ao entardecer?

 Por que os pássaros cantam ao entardecer?

 

3)

Paz! 

Este texto foi publicado na ‘Bíblia do Adorador’ em 2007.

Foi uma experiência linda que tive com Deus…

Eram umas seis da tarde e eu estava na varanda da minha casa vendo o por do sol, quando o Espírito Santo começou a falar comigo… Ele dizia mais ou menos assim:

 

  

Sabe porquê os pássaros cantam todos os dias ao entardecer?

É porque quando Deus fez a terra, esse foi o horário

que Ele estabeleceu para se encontrar com toda a

Sua criação.

E até hoje, a natureza sabe disso.

E até hoje a natureza lembra disso.

Por isso até hoje os pássaros cantam ao entardecer…

como um clamor… como um anseio pela presença da Glória do Deus Altíssimo.

Eles clamam, e cantam…

Como se o tempo não tivesse passado…

Como se ainda estivessem no Éden…

Toda a natureza sabe que esse era o momento mais importante do dia… 

o momento do seu encontro diário com Deus.

E isso está gravado na natureza, e em toda a Criação…

Eternamente.

O entardecer é o momento mais lindo do dia…

É a hora de voltar pra casa…

É uma hora em que todos deveriam parar

o que estivessem fazendo, em qualquer lugar,

todos, sem exceção, deveriam se aquietar,

e se voltar para O Criador, para O Todo Poderoso,

e Adorá-lO… Adorá-lO… Adorá-lO…

Esse é o momento em que tudo muda no dia…

E um pouquinho depois dele, já não há mais dia.

Um pouquinho depois dele é chegada a noite…

À noite, todos procuram seus lares…

procuram o descanso… procuram a Paz…

E muitos choram.

Não sabem porque choram, mas… choram.

O choro pode durar uma noite inteira,

mas assim como o amanhecer chega,

a alegria e as misericórdias do Senhor vêm pela manhã.

E toda manhã um novo dia se inicia…

Como uma dádiva que se renova…

Toda manhã, uma nova história de vida pode começar…

Sabendo que, ao entardecer, com toda certeza,

os pássaros irão cantar…

 

Sarah Sheeva, 2005

 

(Salmos 30:5)

 

Fotografia: Fernanda Reis

Adoradora da foto: Sarah Sheeva (adorando a Deus com danças no monte, e ao fundo o por do sol em Belo Horizonte).

 

(Salmos 149:3) “Louvem o Seu Nome com danças…”