A cultura do dote “moderno”

Leia o livro e veja o filme Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Darcy dança com Elizabeth no filme Orgulho e Preconceito inspirado na obra prima da grande Escritora Jane Austen

Certa vez na igreja um rapaz solteiro perguntou para uma moça solteira:
“Maria, você quer namorar comigo?”
E Maria disse:
“Olha João, eu quero, desde que você aceite as minhas condições.”
E o João disse: “Quais são as suas condições para a gente namorar?”
E a Maria: 
“Ah João, eu quero namorar pelo menos seis meses sem beijar na boca, você aceita?”
E o João disse: 
“O quê?!?! Seis meses?!?! Fála sério Maria!!! Óbvio que não aceito!!! Seis meses é MUITO TEMPO!!!”
E então a Maria se entristeceu, mas estava tão desesperada pra ARRUMAR UM HOMEM que disse: 
“Ok João, então quanto tempo você aceita ficar comigo sem me beijar?”
E o João disse: 
“Ah, no máximo uma semana! E me agradeça por isso!”

Então a Maria carente, e pensando que nunca iria ARRUMAR alguém melhor que o João, disse a ele: 
“Então tá bom João, uma semana está bom.”

Quando a Maria chegou em casa, resolveu contar a história para a avó dela, que chocada com a resposta do rapaz para a neta (e da neta ao rapaz) lhe disse:

Minha neta, quando a minha bisavó era jovem havia um costume da época: o homem oferecia um dote para desposar uma moça, que significava se casar com ela (naquela época, pedir em namoro significava um futuro casamento).
Numa certa vez um rapaz disse a minha bisavó que queria namorá-la. Ela tinha dezessete anos na época, e então o pai dela disse ao rapaz: 

“O dote para casar com a minha filha (comparando com a moeda dos dias de hoje) é dez mil Reais.” 
E o pai dela continuou:
“Olhe rapaz, minha filha não namora, minha filha só namora se for para casar.”
Ela estava ao lado do pai quando ele disse isso ao rapaz, mas o rapaz respondeu assim:

“O quê?!?! Dez mil Reais?!?! De jeito NENHUM!!! Eu não PAGO ISSO de jeito nenhum!!!”

Ao ouvir isso do rapaz, minha bisa se entristeceu, e o pai dela disse ao rapaz: 
“Então QUANTO você estaria disposto a dar nesse dote???”
E o jovem disse: 

“No máximo uns duzentos Reais! (E me agradeça por isso!)”

Então o pai dela disse ao rapaz: 
“Pois então você não serve para a MINHA FILHA! Vá embora.”
E o rapaz foi embora. 

Minha bisa, na época uma jovem moça, ao ver isso se entristeceu muito, porque estava carente e pensava que nunca iria ARRUMAR alguém melhor que aquele rapaz, então ela disse ao PAI:
“Porque o senhor o dispensou? Porque o senhor não aceitou a oferta dele? Talvez seja a minha única chance de casar…”

E então o pai lhe respondeu: 
“Querida filha, se eu tivesse aceitado a proposta dele, eu estaria concordando com ele.”
E ela perguntou:
“Concordando sobre o que?”
E o pai:
“Concordando com ele, que disse na minha cara (e na sua) que você NÃO VALE MUITO para ele! Ou que você NÃO VALE QUASE NADA para ele!”

E ela o abraçou, dizendo: 
“Obrigada papai!”
Alguns meses depois ela conheceu um jovem que viria a se tornar seu marido, que aceitou o dote imposto por seu pai sem reclamar. Eles se casaram, e ele foi um homem e marido maravilhoso para ela por todos os anos de casados.
Então, Maria disse a avó: 
“Credo vó, que história mais antiquada!”
E a avó disse:
“Pois é minha neta, hoje quando você aceitou essa proposta BAIXA do João, foi o mesmo que você aceitar um ‘dote’ no valor de 1 Real!”
“Cruzes vó!!!”
E a avó continuou:
“Mas é verdade minha neta! Porém, minha querida neta, você vale muito mais para mim (e para o seu Pai Celestial) do que qualquer valor dessa Terra! Então, como você pôde se desvalorizar tanto e aceitar namorar com um rapaz que NÃO ESTÁ DISPOSTO A PAGAR NENHUM PREÇO DE ESFORÇO POR VOCÊ???”

Então a Maria começou a entender o erro que tinha cometido ao aceitar a contra-proposta do João, e no dia seguinte, pessoalmente, conversou com João, que imediatamente desfez a proposta de namoro.

Um ano depois, Maria ficou amiga de um rapaz que chegou para congregar em sua Igreja, seu nome era José. O tempo passou, e quela amizade frutificou. Um dia José pediu para namorar com Maria, que lhe deu as condições:
“Quero sim, DESDE QUE você aceite ficar comigo por, pelo menos, UM ANO sem me beijar na boca.”
E a resposta do José SURPREENDEU a Maria:
“Mas é claro, POR VOCÊ eu fico sem beijar na boca quanto tempo for preciso, EU ESPERO QUANTO TEMPO FOR NECESSÁRIO! Você é muito importante e especial para mim!
Isso não é nada!
Você VALE muito mais para mim do que isso!”

Então Maria se alegrou muito porque viu que José a amava como PESSOA… antes de amar seu corpo e sua beleza. E ela se lembrou daquela longa conversa com sua avó.

Hoje, namorando sem beijo, sem sexo, Maria sabe que José gosta dela de verdade, não apenas de seu corpo, não apenas do prazer que ela pode lhe proporcionar, mas de sua ESSÊNCIA, de sua PESSOA em primeiro lugar.

É claro que Maria percebe que José sente atração por ela, ela percebe que não é fácil para ele ficar com ela todo esse tempo sem beijá-la… porém, através disso, ela também SABE que José a ama muito, que ele a respeita muito, e está disposto a amá-la como Cristo amou a Sua Igreja, abrindo mão de suas vontades POR ELA.
Hoje, Maria sente muita paz nesse relacionamento, e tem certeza que vai se casar com José, que além de ser um servo de Deus vivendo em santidade, é o seu MELHOR AMIGO.

By Sarah Sheeva 11.07.2014

(Cena em que o pai de Elizabeth concede permissão para que ela se case com Mr.Darcy)

 

5 comentários em “A cultura do dote “moderno”

  1. Que lindoooooooooooooo…. Amei e assim que eu sonho Sarah….. Amei esse texto. que Deus te abençoe poderosamente…

    ________________________________

  2. Nossa, linda história. Não foi assim comigo, porém me esforçarei para que seja assim com os meus filhos.

  3. Muito triste ver a desvalorização da mulher nos dias atuais, e pior, muitas vezes pela própria mulher… Empoderamento? Quer empoderamento maior que aceitar e fazer valer a essência original do CRIADOR para a mulher?!!
    Infelizmente o ataque a mulher disfarçado “feminismo” na verdade é uma rejeição da mulher a sua própria essência original. As mulheres que iniciaram esta “luta”, creio eu (minha opinião) que na verdade eram libertárias revoltadas com seu próprio eu, com sua sexualidade e sua essência porém no fundo eram carentes de amor próprio e de atenção, então em sua carência deram margem as palavras de satanás lançadas em sua personalidade(sim porque ele é o acusador e tem interesse em destruir, porém nada faz sozinho, como temos livre arbítrio ele se aproveita das fraquezas emocionais que alimentam o físico, e lança as suas sementes, e claro que quando o físico prevalece o espirito enfraquece levando tendenciosamente as cometer erros e pecados que permeiam a mente física vulnerável) entendemos que nosso maior inimigo na verdade somos nós mesmos, porque satanás só opera em mentes fracas e espiritos debilitados… e quem enfraquece o espírito? Nós quando saímos do campo da obediência e intimidade com o PAI, e passamos a ouvir nosso próprio eu, fazendo aquilo que queremos e não o que o SENHOR dos designa a fazer. Sendo assim passamos a rejeitar o plano DELE para nós, rejeitamos nossa essência original e assim nos tornamos carentes de amor e cuidado(pq nós rejeitamos o amor do PAI) estando vulnerável as ciladas de satanás. Assim essas pessoas, passam a ser fantoches nas mãos dele(satanás)…
    Então voltando ao assunto, creio que essas mulheres se permitiram ser fantoches nas mãos de satanás levantando essa bandeira da liberdade (falsa liberdade, na verdade prisão de alma).
    As mulheres se desvalorizaram tanto que tomam cada dia mais o lugar dos homens se tornando provedoras financeiras do lar esquecendo do verdadeiro sentido dela na família de cuidar, amar, zelar, ensinar, preparar vidas… este é o verdadeiro sentido e umas poucas gritam que hoje são libertas pq tem o direito de não ser empregadas de homens… então que seja e paguem o preço caladas, pq as mesmas que clamam liberdade reclamam do peso de trabalhar fora e sustentar uma casa, reclamam dos homens que não são gentis, que não se sentem valorizadas, mas a primeira oportunidade de serem mulherzinhas (no bom sentido de serem femininas e arcar com suas atribuições de mulher não querem…
    Quanto mais a mulher moderna rejeita a essência original do CRIADOR para ela, mais se desvaloriza e é um caminho sem volta para muitas. Resta cada uma refletir e aceitar sua essência e vivê-la.

  4. Hoje há uma cultura da satisfação. Ninguém aceita mais esperar. Ou melhor, nem todos aceitam esperar. Só querem se satisfazer á do mesmos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s